O que fazer para resgatar o seguro de vida

  • Google+
  • LinkedIn

Quando o segurado ou a família precisam pegar esse dinheiro, é necessário ligar para a seguradora, preencher o sinistro e enviar documentos. Confira pedir o resgate do seguro de vida!

Como resgatar o seguro de vida



Assim que você contrata um seguro de vida, tanto você quanto a sua família devem saber o que fazer para resgatar a indenização. E não se engane: dependendo da cobertura, o seguro não cobre somente a morte do segurado, mas pode ser resgatado em situações como invalidez temporária ou permanente, por exemplo.

O primeiro passo: saber quando pedir o resgate do seguro de vida

Normalmente, quem contrata um seguro de vida está se protegendo financeiramente caso fique inválido por um período ou não possa mais trabalhar. Se isso acontecer, é você que precisa contatar a seguradora e pedir a indenização. Já nos casos de morte natural ou acidental deste segurado, algum parente próximo, que tenha os dados do seguro, precisa entrar com o pedido de resgate para receber a indenização.

O segundo passo: saber acionar a seguradora

Ligue para o corretor ou para a assistência 24 horas do seu plano. Em seguida, preencha o formulário de aviso de sinistro. Esse papel é fornecido pela seguradora, e você vai escrever ali os dados do segurado e o motivo pelo qual você está pedindo a indenização. Por exemplo, no formulário de morte acidental, é necessário escrever qual foi o acidente e como o segurado faleceu.





Conheça agora o Seguro de Auxílio Hospitalar oferecido pelo ToGarantido. Por apenas R$ 20,90 por mês você conta com cobertura em caso de internação, morte acidental ou invalidez permanente. Clique aqui para saber mais.

No final desta etapa, cada seguradora vai pedir alguns documentos para liberar o dinheiro, sendo que esse valor foi previsto na apólice. Saiba quais são os documentos mais pedidos em cada situação:

Invalidez por acidente

  • RG, CPF e comprovante de residência do segurado;
  • Atestado do médico confirmando as sequelas deixadas pelo acidente e o grau de invalidez;
  • Cópia dos exames médicos realizados;
  • Cópia da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), se esse foi o caso;
  • Boletim de ocorrência policial, se houver;
  • Cópia do benefício do INSS, se o segurado receber;
  • Carteira de motorista do segurado, se a causa da invalidez foi um acidente de carro.

Invalidez por doença

  • RG, CPF e comprovante de residência do segurado;
  • Atestado do médico confirmando as sequelas deixadas pela doença e o grau de invalidez;
  • Cópia dos exames médicos realizados;
  • Cópia do benefício do INSS, se o segurado receber.

Morte natural

  • Certidão de óbito do segurado;
  • Certidão de nascimento ou de casamento do segurado;
  • RG, CPF e comprovante de residência do segurado.

Morte acidental

  • Certidão de óbito do segurado;
  • Certidão de nascimento ou de casamento do segurado;
  • RG, CPF e comprovante de residência do segurado;
  • Boletim de ocorrência policial;
  • Laudo do Instituto Médico Legal (IML);
  • Carteira de motorista do segurado, se a causa da morte foi um acidente de carro.

Em quanto tempo a indenização do seguro de vida será liberada?

De acordo com o as regras da Superintendência de Seguros Privados (Susep), depois que os documentos forem entregues, a seguradora terá o prazo máximo de 30 dias para pagar a indenização.

Veja também!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.