Compare o atendimento das maiores seguradoras de vida do país

Número de clientes Nota do Reclame Aqui
6.779.392

6,78

Saiba mais
5.636.043

3,72

Saiba mais
5.636.043

4,0

Saiba mais
4.063.173

7,58

Saiba mais
3.591.976

4,69

Saiba mais
1.924.028

6,90

Saiba mais
1.148.191

6,66

Saiba mais
893.032

5,59

Saiba mais
Se você ficou curioso para conhecer as maiores empresas de seguro de vida do Brasil, isso significa que você anda preocupado com o futuro da sua família, não é? Afinal, o seguro de vida tem exatamente essa função: garantir o suporte financeiro de quem depende de você – que podem ser seus filhos, seus pais ou qualquer outra pessoa – caso você não esteja mais aqui.

E você não está sozinho: este tipo de seguro já está entre os três mais procurados no país e, segundo a Federação Nacional de Previdência Privada (FenaPrevi), a busca vai aumentar. As seguradoras sabem disso e, como consequência, aumentam a oferta desse produto – o que pode confundir mais do que ajudar. Mas além de resolver comprar um seguro de vida, você precisa saber escolher a melhor opção. Uma forma de começar esta pesquisa é pensar no tipo de dependente e nos valores. Em seguida, vem a decisão mais difícil: a escolha da seguradora.

Foi pensando em ajudá-lo a dar este segundo passo que a Konkero comparou as principais seguradoras deste segmento no país, entre elas MAPFRE e Caixa. Nosso ranking leva em conta o número de clientes de cada empresa, segundo dados da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), e a qualidade de atendimento, segundo o site Reclame Aqui. Dessa forma, você consegue prever qual empresa tem a melhor oferta para o que você precisa.

O que um seguro de vida cobre?


A cobertura varia de acordo com o seguro. Mas, no geral, ele cobre morte acidental ou natural e invalidez causada por acidentes e doenças. Existem seguros que oferecem coberturas extras, como indenização no caso de morte ou invalidez do seu marido ou esposa, mas eles costumam custar um pouco mais caro.

Quem pode ser protegido pelo seguro de vida?


Qualquer um pode ser beneficiário do seguro, ou seja, quem vai receber a indenização quando você falecer. E não precisa ser só uma pessoa – você pode escolher quanto do dinheiro vai ficar para cada assegurado. Os nomes devem ser indicados quando você fechar o contrato, mas dá para substituir enquanto o seguro estiver válido.

Qual a diferença entre o seguro de vida e o seguro de acidentes pessoais?


O seguro de acidentes pessoais cobre somente os casos de morte ou invalidez causados acidentalmente. O seguro de vida é melhor do que este porque tem a opção de indenização no caso de morte natural ou por doença. Por outro lado, o seguro de acidentes pessoais é mais barato.

Quanto custa fazer um seguro de vida?


Os preços mudam conforme a seguradora, os itens cobertos e a idade de quem vai contratar o plano. De acordo com uma pesquisa feita pela associação Proteste, de defesa do consumidor, o mesmo seguro de R$ 40 mil variou entre R$ 16 (para um segurado de 18 anos) e R$ 213 por mês (para um com 65 anos). Ou seja, quanto mais velho você for, mais caro será o pagamento, pois a seguradora entende que as chances de você acioná-la são maiores. Tanto que grande parte das empresas não aceita que a contratação da primeira apólice seja feita depois dos 65 anos.