Quando fazer um plano odontológico

Confira as dicas que separamos para você avaliar em quais situações fazer um convênio odontológico pode ser uma vantagem.

Dependendo dos cuidados que você tem com os seus dentes, fazer um plano odontológico alivia muito os gastos no dentista. Quem só procura o consultório quando tem um problema grave ou nunca vai ao dentista, corre risco de gastar muito dinheiro de uma vez só. Mas ao fazer esse convênio, veja só: as parcelas mensais dão direito a consultas, limpeza, restauração, tratamento de gengiva e canal, e extração – que são os tratamentos mais cobertos pelos planos. E o preço? Varia entre R$ 26 e R$ 105 por pessoa, segundo pesquisa da Proteste. Mas antes de tomar essa decisão, confira quando compensa contratar esse plano.

3 situações em que vale a pena ter um plano odontológico

1. Se você não vai ao dentista há muito tempo

Dependendo dos seus hábitos na hora de cuidar dos dentes, a visita ao dentista deveria acontecer no mínimo duas vezes por ano. É assim que você mantém a limpeza em dia e as cáries sob controle. Se você não vai ao dentista há anos, provavelmente terá que passar por muitos tratamentos – o que deixa a consulta bem cara. A saída aqui é contratar um plano odontológico. De acordo com uma pesquisa feita pela Proteste, associação de defesa dos direitos do consumidor, a média de preço dos planos odontológicos varia entre R$ 26 e R$ 105 por pessoa. Então, você paga mensalidades que dão direito a consultas e tratamentos, e volta a cuidar dos dentes com a frequência que deveria.

2. Se você vai ao dentista somente quando aparece uma emergência

Nesse caso, você tende a gastar muito de uma vez porque os problemas acumulam quando você deixa de cuidar dos dentes. E um tratamento de canal, que costuma ter a cobertura de um plano odontológico, sai caro em uma consulta particular. Entenda que o valor pago na consulta poderia pagar diversas parcelas que dão direito a outros atendimentos. Aqui, vale o mesmo cuidado indicado para quem não vai ao dentista há muito tempo: faça o plano para manter a saúde dos dentes em dia.

3. Quando você precisa de um tratamento caro que o plano cobre

Se você cuida bem dos dentes e sempre pagou consulta particular, mas descobriu que precisa tratar uma cárie, um canal ou fazer uma extração, comece a pesquisar planos odontológicos. Alguns tratamentos são demorados e você pode pagar mais pelo atendimento particular do que nas mensalidades dos planos. Caso precise usar aparelho ou queira colocar implante, saiba que aí não tem jeito: o caminho é pagar o tratamento por conta própria. Isso porque eles são considerados procedimentos estéticos e não de saúde, então não recebem a cobertura.



Atenção!

Quando for pesquisar qual o melhor plano odontológico para você, verifique se ele cobre os tratamentos que você precisa fazer e qual o período de carência – ou seja, quanto tempo você precisa esperar para usar o convênio. Alguns planos exigem um prazo de até 180 dias para exames e tratamentos caros. Os procedimentos simples, como consultas, costumam ser liberados em 24 horas.

Veja também!

 




comentários