Entenda o reajuste nos planos de saúde individuais e familiares - Konkero

Entenda o reajuste nos planos de saúde individuais e familiares

A ANS estipula anualmente um reajuste na cobrança dos planos de saúde. Veja aqui o que muda para o seu bolso e decida se você quer continuar com o convênio médico. 

Ter um plano de saúde pode ser um alívio em vários momentos. Mas é preciso ficar atento: como qualquer outro serviço, os planos costumam sofrer aumentos. O último deles foi liberado em julho de 2019, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), responsável por regular os planos de saúde no Brasil.

Nesse caso, a ANS determinou o reajuste máximo de 7,35% para os planos de saúde individuais ou familiares. Empresas como Amil Assistência Médica InternacionalSul América e Bradesco poderão aumentar o preço das mensalidades dos planos até o mês de abril de 2020 dentro desta margem. Descubra o que isso muda no seu bolso e como se defender de uma cobrança abusiva.

Como funciona o reajuste

O reajuste anual é estipulado pela ANS a partir de um cálculo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e as despesas assistenciais dos planos de saúde. As empresas estão liberadas para inserir a taxa máxima de 7,35% nas mensalidades dos convênios, desde que não ultrapasse essa faixa.

Quanto isso muda no meu bolso?

Depende do quanto você paga por mês. A seguir, veja dois exemplos de como essa mudança pode aumentar seus gastos.

Operadora A: O beneficiário dessa operadora paga R$ 200 pelo plano de saúde. Nesta empresa, o reajuste foi menor que os 7,35%: os clientes com planos individuais ou familiares terão que pagar 6% de reajuste. Após esse acréscimo, a mensalidade do seguro de saúde ficará R$ 212.

Operadora B: Essa empresa decidiu aumentar o valor com a taxa máxima de 7,35% e o beneficiário também paga R$ 200. Dessa forma, o custo do plano de saúde será de R$ 214,70.

Saiba se defender das cobranças abusivas

Se alguma operadora desrespeitar o valor permitido pela ANS, como os prazos máximos para consultas, exames e cirurgias, é direito do consumidor entrar em contato com a ANS e denunciar o erro. Para fazer uma reclamação, você terá que preencher um formulário com os dados do reclamante e explicar a situação ocorrida. Se preferir, pode ligar e reclamar no Disque ANS (0800-701-9656). Dependendo do que aconteceu, a ANS pode multar a seguradora e até obrigá-la a devolver seu dinheiro.

Quero mudar de plano

Se você é segurado por algum plano de saúde e não gostou do reajuste que a ANS determinou, saiba que você pode mudar de plano a qualquer momento e, dependendo da situação, sem cumprir carência. Mas quem vai definir se você terá que esperar para usar os serviços é a nova operadora. Por isso, não deixe de tirar essa dúvida antes de contratar o plano. Veja aqui como cancelar o seu plano de saúde.

Veja também!