Entenda o reajuste nos planos de saúde individuais e familiares

  • Google+
  • LinkedIn

O último aumento no preço foi determinado para a Amil, a Sul América, o Bradesco e o Itauseg. Veja aqui o que muda para o seu bolso e decida se você quer continuar com essas seguradoras

Entenda o reajuste nos planos de saúde individuais e familiares



Ter um plano de saúde pode ser um alívio em vários momentos. Mas é preciso ficar atento: como qualquer outro serviço, os planos costumam sofrer aumentos. O último deles foi liberado em agosto, pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), responsável por regular os planos de saúde no Brasil. Nesse caso, a ANS determinou o reajuste máximo que quatro empresas poderão fazer e os períodos permitidos – sendo todos planos individuais ou familiares. A Amil Assistência Médica Internacional foi autorizada a subir o valor dos contratos em até 9,65%, entre julho de 2014 e maio de 2015. Já a Sul América, o Bradesco e o Itauseg poderão aumentar em até 10,79% o valor dos planos entre julho de 2014 a junho de 2015. Descubra o que isso muda no seu bolso e como se defender de uma cobrança abusiva.

Como funciona?

Válido somente para planos individuais e familiares, os reajustes podem ser cobrados inclusive para dois meses que já passaram. Por exemplo, se o contrato é de julho de 2014 e o reajuste foi aplicado em setembro, a empresa poderá cobrar nos meses de setembro e outubro o valor que não foi aplicado em julho e agosto.

Quanto isso muda no meu bolso?

Depende do quanto você paga por mês. A seguir, veja dois exemplos de como essa mudança pode aumentar seus gastos.

 Amil: pode ajustar em, no máximo, 9,65% os contratos dos clientes. Supondo que você pague R$ 200 por mês, somando o aumento de 9,65%, o plano passará a custar R$ 219,30.



Sul América, Bradesco e Itauseg: podem ajustar, no máximo, 10,79%. Se você paga R$ 200 por mês, somando o aumento de 10,79%, o plano passará a custar R$ 221,58.

Saiba se defender das cobranças abusivas

Se alguma operadora desrespeitar o valor permitido pela ANS, como os prazos máximos para consultas, exames e cirurgias, é direito do consumidor entrar em contato com a ANS e denunciar o erro. Para fazer uma reclamação, você terá que preencher um formulário com os dados do reclamante e explicar a situação ocorrida. Se preferir, pode ligar e reclamar no Disque ANS (0800-701-9656). Dependendo do que aconteceu, a ANS pode multar a seguradora e até obrigá-la a devolver seu dinheiro.



Quero mudar

Se você é segurado Amil, Sul América, Bradesco ou Itauseg e não gostou do reajuste que a ANS determinou, saiba que você pode mudar de plano a qualquer momento e, dependendo da situação, sem cumprir carência. Mas quem vai definir se você terá que esperar para usar os serviços é a nova operadora. Por isso, não deixe de tirar essa dúvida antes de contratar o plano. Veja aqui como cancelar o seu plano de saúde.





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.