Seguro-fiança: entenda essa garantia

  • Google+
  • LinkedIn

Ela pode uma condição exigida pelo proprietário do imóvel para liberar o aluguel. Saiba mais sobre as regras desse seguro

Seguro-fiança



Cheque caução, fiador e seguro-fiança são os três tipos de garantia que o dono de um imóvel costuma pedir para alugá-lo. Seja qual for a escolha do proprietário, o motivo é o mesmo: evitar que ele tenha prejuízos. No caso do seguro-fiança, é necessário ir a uma seguradora, pois ela será a responsável por ressarcir o proprietário se você atrasar o aluguel. Mas nem sempre essa garantia compensa para quem vai morar no imóvel. Confira.

O que você precisa saber

Esta garantia não é exigida por lei. Na verdade, só será feita se você e o proprietário entrarem em um acordo. E nem sempre você concordará com essa proposta porque o seguro-fiança costuma deixar o aluguel até três vezes mais caro. Isso acontece por causa das taxas incorporadas ao valor do seguro, como de comércio, que pode aumentar conforme os meses passam, e os “carregamentos”, que correspondem a despesas administrativas, comissão dos corretores e lucro da seguradora. Além disso, o valor que você paga não volta, mesmo que você não atrase o pagamento do aluguel. Portanto, se você achar que o seguro não compensa, tente negociar com o proprietário.

Caso decidam por essa garantia, você deverá ir a seguradora fechar o contrato. E saiba que o seguro terá a mesma duração que o período de aluguel do imóvel. Caso queiram ampliar esse prazo por tempo indeterminado, uma nova proposta deve ser apresentada à seguradora e, depois, será feito outro termo que permita mais renovações no acordo.

Quando o dono do imóvel é indenizado?

O proprietário tem o direito de pedir a indenização nas seguintes situações:



1. Em uma ação de despejo: acontece quando o dono quer o imóvel liberado, mas o inquilino não sai amigavelmente. Essa ação também pode ser feita em atraso ou não pagamento do aluguel a partir do segundo consecutivo.

2. Abandono do imóvel: o inquilino desaparece sem avisar o dono e não faz o pagamento do aluguel.

3. Entrega amigável das chaves: quando o inquilino precisa sair do imóvel e entra em acordo com o proprietário. Nesse caso, o cálculo da indenização considera a data do recibo de entrega das chaves.



E se a seguradora não pagar o seguro?

Nesse caso, o proprietário pode reclamar no site da SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), pelo canal de reclamações, ou nos órgãos de defesa do consumidor, como o Procon e o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor). A seguradora é notificada e pode ser multada.





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.