Pix ou máquina de cartão: compare e entenda as diferenças

Sabia que o Pix é uma alternativa à máquina de cartão? Saiba como ele funciona e veja qual é a diferença entre ele e as maquininhas!

Máquina de cartão

O Pix, novo meio de pagamento criado pelo Banco Central, pode ser usado por empreendedores para receber os pagamentos de vendas. Com um custo baixo e uma compensação imediata, ele é uma ótima alternativa à máquina de cartão, uma vez que as taxas do equipamento são mais altas e o tempo de compensação é maior.

Tem um negócio? Entenda quais são as diferenças entre o Pix e a máquina de cartão e veja qual deles é o melhor para receber os pagamentos de clientes!

Como funciona o Pix e a máquina de cartão?

Para entender as diferenças entre o Pix e as maquininhas de cartão, é necessário, antes, saber como cada um deles funciona.

Pix

O Pix é um pagamento instantâneo. Ele permite a transferência direta dos recursos de conta para conta, sem precisar de um banco para interferir ou qualquer outra instituição financeira. Dessa forma, ele é mais barato, pois não tem os custos que teria com a interferência de terceiros.

Além disso, como é uma transferência direta entre contas, ele também tem um tempo de compensação bem atrativo: o dinheiro passado cai na conta de destino em até 10 segundos, apenas. Ou seja, os valores ficam acessíveis a um prazo muito menor do que outras formas de pagamento, como TED, DOC e as próprias máquinas de cartão.

Por fim, outro benefício do pagamento instantâneo é que ele é independente de dia e de horário. Isso quer dizer que ele pode ser feito a qualquer horário de qualquer dia do ano, e sua compensação ainda será de até 10 segundos. Assim, mesmo que você receba algum valor em um feriado, este valor não estará com você apenas no próximo dia útil, mas sim, no ato da transação.

O Pix para pessoas físicas é gratuito, porém, para pessoas jurídicas, ele pode ser cobrado. Neste caso, é importante saber com o seu banco qual será a taxa cobrada. De acordo com o Banco Central, a cada 10 transações Pix realizadas, o custo é de R$ 0,01. Portanto, fique de olho em valores abusivos!

Para realizar um pagamento usando este novo meio, basta ter uma conta corrente, poupança ou de pagamento em algum banco ou instituição financeira que ofereça a novidade. Além disso, também é preciso ter o aplicativo do banco ou instituição no celular e acesso a internet. Todo o processo do Pix é feito pelo celular.

Máquina de cartão

A máquina de cartão é um dos meios de pagamento mais aceitos nos estabelecimentos comerciais. Com ela, é possível pagar no débito e no crédito, a depender da aceitação de cada negócio.

É comum que as maquininhas tenham taxas. Os custos variam conforme a empresa que fornece o equipamento. No entanto, é possível encontrar taxas de aquisição, aluguel e as taxas sobre as vendas.

Vamos ver um exemplo. Em certa empresa de máquinas de cartão, você só consegue alugar a maquininha, sem a possibilidade de comprá-la. Assim, o primeiro gasto é com o aluguel do equipamento. Além disso, a cada venda realizada no débito, é preciso pagar uma pequena porcentagem para a empresa da maquininha. Se a compra for feita no crédito, a porcentagem pode ser um pouco maior. Portanto, são mais taxas.

Além dos custos, o tempo de compensação não é imediato, na maioria das vezes. Existem empresas que permitem que o empreendedor tenha acesso ao dinheiro no mesmo dia, ou ainda no dia seguinte. Em contrapartida, há outras empresas que só liberam os valores após 30 dias, o que acaba influenciando no fluxo de caixa.

Para fazer um pagamento pela maquininha de cartão, basta ter um cartão de débito ou de crédito. Há ainda os equipamentos e estabelecimentos que aceitam cartões de benefícios, como vale-refeição e vale-alimentação.

Qual é a diferença entre essas formas de pagamentos?

Em termos gerais, é possível resumir as diferenças entre o Pix e as máquinas de cartão nos custos e na compensação, porém, ainda existem outros detalhes.

Comparando o tempo de compensação do Pix com o das maquininhas de cartão, o Pix é mais vantajoso. Com ele, o dinheiro está na conta da empresa em até 10 segundos do pagamento, dispensando todo o tempo de espera que as maquininhas têm, normalmente.

Com o dinheiro já na conta, fica mais fácil se planejar, organizar os próximos investimentos e efetuar os pagamentos de pessoal e outras despesas sem a necessidade de um empréstimo de capital de giro.

Com relação aos valores, o Pix tende a ser mais barato, uma vez que elimina custos com terceiros. Porém, isso pode ser relativo. É preciso verificar quais as tarifas cobradas pelo pagamento instantâneo no banco onde você tem uma conta corporativa, e também as taxas cobradas pela empresa da máquina de cartão. Pode ser que a empresa da maquininha abaixe as taxas, e assim, pode ser vantajoso continuar com o equipamento.

Vale saber que o Pix só consegue substituir os pagamentos com cartão de débito. Pagamentos no crédito, para serem feitos, ainda dependerão das máquinas de cartão.

Pix ou máquina de cartão: qual escolher?

Tanto o Pix como as máquinas de cartão são boas opções de pagamento para oferecer aos clientes. Se você já tem uma maquininha, a sugestão da Konkero é que você continue com ela, mas implemente também o Pix ao seu negócio. Quanto mais formas de pagamento você aceitar, mais clientes você pode ter.

Fique atento e observe qual a tendência dos seus clientes. Se com o passar o tempo você receber mais valores por Pix, vale a pena considerar deixar o equipamento de lado, assim como os seus custos. Porém, lembre-se que não é possível aceitar pagamentos em crédito por meio do Pix. Se você aceita cartões de crédito, não tem como substituir as maquininhas.

Na hora de decidir, não esqueça de comparar os custos e ver, principalmente, a preferência dos clientes. É possível que o Pix seja amplamente utilizado, porém, a princípio, os cartões de débito ainda existirão, assim como quem os utiliza.

Veja também!



Solicite seu empréstimo

Julia Braz de Teves: jornalista formada em 2019 pela Universidade Nove de Julho. Já atuou na área de assessoria de imprensa, e já trabalhou como auxiliar administrativa-financeira, passando, inclusive, pelo departamento pessoal.

Siga-nos nas redes sociais

Copyright © 2020 FinanZero. Todos os direitos reservados.

Regras de uso do site Política de privacidade
Google Safe Secured SSL