Novo Fies: conheça as mudanças do financiamento estudantil - Konkero
ATENÇÃO! Nunca solicitamos depósito ou pagamento para liberação de empréstimo. Isso é ilegal.

Novo Fies: conheça as mudanças do financiamento estudantil

O Fies mudou algumas regras para que mais candidatos consigam financiar as mensalidades da faculdade. Entenda mais sobre as mudanças!

O Fundo de Financiamento Estudantil, o Fies, é um programa do Ministério da Educação que ajuda alunos de faculdades privadas a financiarem o curso superior com condições de pagamentos mais acessíveis. Durante a formação e um período após a conclusão, o aluno paga mensalidades trimestrais. Depois de 18 meses da conclusão do curso, o formado terá alguns anos para quitar o restante do financiamento.

A partir de 2020, passam a valer novas regras para participar do Fies, principalmente em relação à renda mensal familiar do candidato. Até então, apenas alunos com renda mensal de até 3 salários mínimos por pessoa da família poderiam participar do Fies. No entanto, no Novo Fies essa faixa é maior. Confira abaixo as mudanças do programa!

Como funciona o Novo Fies

A principal mudança do Fies está na renda mensal familiar exigida para fazer o financiamento. Para atender mais alunos, o limite de renda da família do aluno não pode ultrapassar 5 salários mínimos por pessoa da família. Nesses casos, quem pretende fazer o Fies deverá participar do P-Fies. Essa parte do programa funciona em parceria com bancos privados, diferente do Fies comum, que é monitorado pela Caixa Econômica Federal.

A taxa de juros do P-Fies é diferente do Fies. Como o candidato tem uma renda familiar mensal maior e o financiamento estudantil é feito em um banco privado, a taxa de juros tende a ser maior e varia de acordo com a possibilidade de pagamento do candidato. Mesmo assim, os pagamentos são mais flexíveis e o aluno garante o financiamento de, pelo menos, 50% do curso.

Quem pode participar do Novo Fies

As demais regras para participar do Novo Fies continuam iguais. O candidato deve ter feito o Enem a partir de 2010, obtido nota superior a 450 pontos nas provas objetivas do exame e não ter zerado a redação.

Podem participar do programa alunos com renda familiar mensal per capita de até 5 salários mínimos, sendo que abaixo de 3 salários passam a valer as regras e os juros do antigo Fies.

Empréstimo online: solicite sem sair de casa
KeroGrana: oferecem créditos entre R$ 1 mil e R$ 20 mil.
Lendico: empréstimos de R$ 2.500 a R$ 50 mil.
Finanzero: compare empréstimos em diferentes bancos. Taxas a partir de 2,97% ao mês.

Como fazer a inscrição no Novo Fies

Os interessados em fazer o financiamento estudantil pelo programa do governo devem aguardar o início das inscrições, que, geralmente, ocorrem entre janeiro e fevereiro, sempre após a liberação da nota do Enem.

Todo o processo de cadastro e registro de informações acontece pela internet no site do Fies. O candidato coloca o CPF e a data de nascimento no cadastro inicial. Automaticamente, o sistema consulta a nota do candidato no Enem e, se estiver dentro da pontuação obrigatória, o usuário pode cadastrar a senha e confirmar o acesso pelo link enviado no e-mail.

Após o cadastro inicial, é necessário colocar as informações sobre o grupo familiar e a renda per capita, ou seja, de cada membro da família. Para finalizar a inscrição, coloque até 3 opções de curso com vagas disponíveis dentro do grupo de preferência (Fies ou P-Fies). O cadastro pode ser alterado apenas durante o período de inscrição, portanto, após o prazo final não há como mudar as informações colocadas. Fique atento!

Taxas de juros do Fies

Como acontece em outros financiamentos, o Fies também possui taxas de juros, no entanto, elas são menores que os encargos de outros bancos e programas de crédito universitário. As taxas do P-Fies variam conforme o contrato fechado com o banco e o valor da mensalidade da faculdade, enquanto no Fies, candidatos com renda familiar mensal de até 3 salários mínimos não pagam juros.

Veja também!