Portabilidade de financiamento imobiliário: conheça as regras

  • Google+
  • LinkedIn

Trocar o financiamento habitacional para outro banco é um processo fácil. Veja quando vale a pena fazer essa migração e economize na compra da sua casa!

Como usar o seguro residencial



Se você está pagando pelo financiamento imobiliário em um determinado banco, porém, encontrou melhores condições em um outro banco, é possível fazer a portabilidade do seu financiamento. Com isso, você consegue ter condições mais acessíveis, dependendo do novo banco que escolher.

Esse procedimento é liberado ao consumidor desde 2006, mas no início era um processo mais burocrático e tinha custo para realizar a mudança de banco. Porém, algumas alterações fizeram com que a portabilidade se tornasse mais fácil e, além disso, também não é permitida nenhuma cobrança para tal.

Confira quais são as regras da portabilidade do financiamento imobiliário!

As regras da portabilidade de financiamento 

A cobrança para fazer a portabilidade de financiamento imobiliário é proibida, por isso, desconfie se tentarem te cobrar alguma taxa por esse serviço. Além disso, o processo é feito diretamente entre os bancos e fiscalizado pelo Banco Central, que trocam as informações do financiamento imobiliário do cliente. Desta forma, a portabilidade é mais rápida.

Outra regra importante esclarece que você não pode pedir um prazo maior no financiamento quando fizer a portabilidade. “O tempo da dívida não muda justamente para o consumidor não ficar adiando o pagamento eternamente”, explica a supervisora financeira do IDEC, Renata Reis.

6 regras da portabilidade de financiamento que você precisa lembrar

1. A portabilidade só pode ser feita para financiamentos de imóveis prontos;

2. Dá para renegociar o valor total da dívida e a taxa de juros;

3. O banco atual tem até dois dias para disponibilizar as informações para o banco de sua escolha;

4. Além disso, ele pode fazer uma contraproposta, mas dentro do prazo de cinco dias;



5. Não há um valor mínimo para portabilidade.

Quando a portabilidade de financiamento é vantajosa?

Só valerá a pena trocar o financiamento para outro banco se você gastar menos no final. Ou seja, se os novos juros cobrados forem menores do que as taxas que você paga atualmente. A Konkero comparou as taxas de juros de financiamento habitacional nos seis maiores bancos do país, e você encontra essas informações clicando aqui.

Mas para garantir que o valor da dívida cairá, você também precisa comparar o CET (Custo Efetivo Total) do banco atual. O CET mostra o valor dos juros e de todas as outras taxas cobradas pelo financiamento. Então, mesmo que os juros do novo banco sejam menores, a troca só compensará se a CET também for. Por isso, não deixe de pegar essa informação antes de pedir a portabilidade da dívida.

Saiba como fazer a portabilidade de financiamento

Se você já confirmou que a troca vale a pena, então só falta pedir a portabilidade do financiamento para eles. Com isso, o banco atual receberá um aviso de que você quer fazer a migração. Então, ele terá até dois dias para enviar à nova instituição as informações do seu empréstimo. Se o banco atual não fizer uma contraproposta, a portabilidade acontecerá automaticamente.

4 situações em que a portabilidade de financiamento pode dar errado

Infelizmente, o novo banco tem o direito de não querer o seu financiamento. Mas, segundo a especialista do Idec, não é qualquer justificativa que vale. O banco só pode recusar a migração se:



1. Existe atraso no pagamento das parcelas;
2. O seu nome está negativado;
3. A sua renda é menor do que o valor das parcelas;
4. O contrato é de um financiamento de imóvel na fase de construção.

Fique atento!

A portabilidade não tem custo, então tome muito cuidado com as vendas casadas, ou seja, quando o banco exige a compra de um cartão ou de outro produto para aceitar a portabilidade. Nenhum serviço desse processo de portabilidade pode ser imposto nem ter custo, mas a única exceção está na tarifa de cadastro, que costuma ser cobrada quando você escolhe se tornar cliente de algum banco.

Veja também





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.