Como funciona o Minha Casa Minha Vida

  • Google+
  • LinkedIn

Este programa do governo federal oferece quatro tipos de benefícios levando em conta a renda familiar. Fique por dentro das condições do Minha Casa Minha Vida!

Como funciona o Minha Casa Minha Vida




Para ajudar quem vai comprar um imóvel novo, o governo federal criou o Programa Minha Casa Minha Vida. Talvez você conheça esse projeto, principalmente se está procurando financiamentos imobiliários, mas agora você saberá exatamente como o Minha Casa Minha Vida ajuda quem vai comprar uma casa ou um apartamento.

Nem todos que estão atrás de um financiamento conseguem entrar no programa, pois são aceitas somente famílias com renda mensal de até R$ 6.500. A partir daí, o programa tem quatro maneiras diferentes de ajudar no financiamento e estas condições mudam conforme sua faixa de renda. Os benefícios são:

  • Pagar uma parte do imóvel para você;
  • Pagar uma parte da entrada do financiamento (ajuda chamada de subsídio);
  • Reduzir o valor do seguro que é cobrado em um financiamento habitacional;
  • Oferecer taxas de juros menores, o que diminui os valores das parcelas e do financiamento.

Faixas de renda do Minha Casa Minha Vida

Renda mensal de até R$ 1.800

Aqui, no minha casa minha vida o governo paga até 90% do valor do imóvel novo. As parcelas do financiamento nunca serão maiores do que 10% da renda mensal da família, e o financiamento terá a duração de até 10 anos.

Para participar, você deve procurar a prefeitura da sua cidade e se cadastrar no Programa. Caso seja aprovado, terá que assinar o contrato do financiamento e se mudar para o imóvel em até 30 dias. Assim que conseguir a casa, existem algumas regras para não perder esse direito: pagar o financiamento em dia, morar no imóvel e pagar o IPTU, as contas de energia, água e condomínio.

Renda mensal entre R$ 1.800 e R$ 6.500

Dentro dessa faixa existe uma divisão que separa os benefícios que o governo costuma oferecer no minha casa minha vida

Entre R$ 1.800 e R$ 2.350: a família consegue um subsídio (ajuda do governo para pagar a entrada) de até R$ 45 mil, e pode ter descontos no seguro ou pagar um taxa de juros melhor do que cobram os bancos concorrentes.

Entre 2.350 e 3.600: até R$ 27.500,00 de subsídio, com 5,5% a 7% de juros ao ano.

Entre R$ 3.600 e R$ 6,5 mil: você não recebe ajuda financeira do governo para pagar o valor da entrada, mas tem descontos no seguro do financiamento e consegue uma taxa de juros melhor do que em outros bancos.

Nestes casos, você não precisa se cadastrar para entrar no Minha Casa Minha Vida. Vá a uma agência da Caixa e peça uma simulação do financiamento ou procure alguma construtora que participe do programa mas saiba que o imóvel deve custar o valor máximo permitido, sendo que esse limite é diferente conforme a cidade.



Veja alguns exemplos de valores dos imóveis:

  • Até R$ 225 mil: na região metropolitana de São Paulo, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal;
  • Até R$ 200 mil: na região metropolitana de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo;
  • Até R$ 180 mil: Restante do país;
  • Até R$ 90 mil: nas cidades com até 20 mil habitantes;

E quem ganha acima de R$ 6,5 mil por mês?

Quem recebe acima de R$ 6.500 por mês infelizmente não pode participar do programa. O caminho é procurar um financiamento que tenha as menores taxas de juros, pois as parcelas e o valor que você pagará ao financiar seu imóvel também diminuirão. Normalmente, é a Caixa que tem a melhor proposta, mas não custa pesquisar em outros bancos antes de tomar a sua decisão!

Veja aqui uma comparação das taxas de juros cobradas em seis grandes bancos do país.

Sair do aluguel é um sonho possível!

Veja o vídeo abaixo e entenda porque vale a pena insistir no financiamento para conquistar a sua casa própria.

 



 

 





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.