Minha Casa Minha Vida: Como fazer - Konkero

Minha Casa Minha Vida: Como fazer

Conheça as novas regras do Minha Casa Vida e descubra se você conseguirá financiar seu imóvel novo com a ajuda do governo.

minha-casa-minhavida

Entrar em um financiamento pelo programa Minha Casa Minha Vida costuma ser a ajuda financeira que faltava para muita gente conquistar a casa própria. Isso porque, dependendo da sua renda, o governo ajuda você de três maneiras diferentes: pagando parte da entrada do imóvel (que deve ser novo), cobrando taxas de juros menores do que os bancos concorrentes ou deixando mais barato os valores dos seguros embutidos no financiamento.

Mas nem todos que procuram um imóvel conseguem entrar no programa: ele vale apenas para famílias que ganham até R$ 7 mil por mês. Então, se você está dentro desta faixa de renda e vai comprar um imóvel novo, veja as regras para pedir o financiamento pelo Minha Casa Minha Vida em áreas urbanas:

Minha Casa Minha Vida – Renda familiar de até R$ 1.800

Como se cadastrar no Minha Casa Minha Vida

Vá à prefeitura e faça a inscrição no programa Minha Casa Minha Vida. A sua aprovação depende de vagas na sua cidade e também do seu perfil. Infelizmente muito locais não estão no programa ou não têm mais vagas.

A Caixa pode financiar até 120 meses nesses casos e as parcelas podem variar entre R$ 80 e R$ 270.

O governo poderá pagar até 90% do valor do imóvel. Você terá um prazo de no máximo 10 anos para pagar o financiamento, mas as parcelas mensais sempre serão menores do que 10% da sua renda. O imóvel comprado será a garantia pelo pagamento do financiamento.

Documentos necessários

Leve RG, comprovante de renda e o cadastro único de programas sociais (CadÚnico) porque a Caixa vai confirmar se você tem essa renda de até R$ 1.800.

Clique aqui para entender como funciona o Minha Casa Minha Vida.

Minha Casa Minha Vida – Renda familiar de R$ 1.800 até R$ 7 mil

Como financiar pelo Minha Casa Minha Vida

Quem recebe entre R$ 1.800 e R$ 7 mil pode ir direto a uma agência da Caixa Econômica Federal, em um correspondente Caixa ou em uma construtora. Muitas construtoras permitem o parcelamento da entrada durante o período de obras, mas antes de assinar qualquer coisa, faça uma simulação para ter ideia dos valores das parcelas e da entrada e analise seu orçamento.

Para quem pretende financiar direto com a construtora: o prazo para o pagamento do financiamento neste caso muda para 30 anos e o limite do valor do imóvel varia de acordo com a cidade.

Valor do imóvel no Minha Casa Minha Vida

O valor do imóvel a ser financiado pelo Minha Casa Minha Vida precisa estar dentro do preço máximo permitido pelo programa, mas esse limite é diferente conforme o lugar. Veja alguns exemplos de valores:

  • Até R$ 145 mil: na região metropolitana de São Paulo, no Rio de Janeiro e no Distrito Federal;
  • Até R$ 140 mil: na região metropolitana de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo;
  • Até R$ 135 mil: Centro-Oeste (exceto Distrito Federal);
  • Até R$ 130 mil: estados do Norte e do Nordeste.

Os benefícios de financiar um imóvel pelo Minha Casa Minha Vida

Eles mudam um pouco conforme a sua renda. Se você ganha entre R$ 1.800 e R$ 4 mil, o governo ajuda pagando parte da entrada do imóvel (até R$ 25 mil). Agora, se a sua renda está entre R$ 4 mil e R$ 7.000, o benefício pode ser o desconto no valor do seguro embutido no financiamento ou na taxa de juros menor do que de outros bancos.

Documentos necessários

RG, CPF, Comprovante de renda, comprovante de endereço, Carteira de Trabalho e Certidão de Nascimento ou Casamento.

Nova tabela de juros do Minha Casa Minha Vida e a nova faixa intermediária

Faixa 1 – Até R$ 1.800

Juros cobrados ao ano: 0%

Faixa 1,5 – Entre R$ 1.800 e R$ 2.600

Juros cobrados ao ano: 5%

Faixa 2 – Entre R$ 2.600 e R$ 4 mil

Juros cobrados ao ano: 5,5% a 7%

Faixa 3 – Entre R$ 4 mil e R$ 7 mil

Juros cobrados ao ano: 8,16%

*As taxas de juros e faixas de renda mensal acima foram obtidas no site do Programa Minha Casa Minha Vida no dia 04/11/2019 e estão sujeitas a alterações.

Quem não pode ter acesso ao Minha Casa Minha Vida

Veja abaixo o que pode impedir seu financiamento no Minha Casa Minha Vida:

  • Ter renda superior a R$ 7 mil por mês;
  • Ter recebido benefícios de algum programa habitacional, como CDHU, COHAB ou qualquer outro incentivo habitacional;
  • Estar cadastrado no Cadastro Nacional de Mutuários (CADMUT);
  • Ter um imóvel no nome;
  • Ser arrendatário do Programa de Arrendamento Residencial (PAR);
  • Ter um financiamento de imóvel residencial ou de material de construção em seu nome;
  • Estar inscrito no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (CADIN);
  • Ser empregado na Caixa ou estar casado com quem trabalha na Caixa;
  • Estar negativado: essa restrição é apenas para quem ganha mais de R$ 1.800 mensais.

Outras restrições podem aparecer no processo de aprovação do financiamento, mas você pode pedir uma explicação caso isso aconteça.

Sair do aluguel é um sonho possível!

Entenda no vídeo abaixo porque vale a pena insistir no financiamento para conquistar a sua casa própria.

Esclareça 15 dúvidas sobre o Programa Minha Casa Minha Vida.

Veja também!