Busca e apreensão de veículos: entenda

Conheça em quais situações o banco pode pedir a busca e apreensão de veículos e saiba algumas formas para regularizar a sua dívida do financiamento. Confira!

carros-mais-vendidos

Se você financiou um carro, mas há algum tempo não está dando conta de arcar com as parcelas mensais, nem procurou pelo banco ou financeira para fazer a renegociação da dívida, saiba que terá que conviver com o risco de busca e apreensão do veículo. Ou seja, o banco poderá tomar o seu bem por conta da falta de pagamento.

É importante lembrar que essa não é a primeira opção do banco, afinal, tomar o seu veículo não é a intenção dele. O ideal é que, em caso de dificuldades no pagamento das parcelas, o cliente procure pelo banco e solicite a negociação de um prazo mais longo de pagamento ou uma taxa de juros mais acessível. Porém, caso não seja feito nenhum acordo sobre a dívida pendente, a busca e apreensão de veículos é uma das medidas que o banco toma para não sair no prejuízo.

Entenda melhor como funciona a busca e apreensão de veículos e saiba como sair dessa situação!

Entenda a busca e apreensão de veículos

Ao assinar o contrato de financiamento de um veículo, automaticamente, você está concordando que aquele mesmo veículo servirá de garantia pelo pagamento das parcelas. Sendo assim, mesmo que o veículo seja utilizado diariamente por você, ele ainda estará em poder da instituição financeira até que todas as parcelas do financiamento sejam pagas. Assim, se você tiver problemas para arcar com as parcelas do financiamento durante um período, o banco pode solicitar a busca e apreensão dele.

A busca e apreensão de veículos nada mais é do que o pedido do banco para a retomada do bem judicialmente por falta de pagamento. Essa é uma das formas dos bancos e financeiras conseguirem uma maior segurança nas operações de crédito para financiamentos, afinal, a busca e apreensão de veículos é uma forma de recuperar parte do dinheiro que foi emprestado para a compra do bem, evitando prejuízos para a instituição.

Como é feita a busca e apreensão de veículos

O pedido judicial de busca e apreensão de veículos geralmente só é feito pelas instituições financeiras após cerca de 3 meses de atraso no pagamento das parcelas do financiamento. E, após a comprovação da inadimplência, é expedido pelo juiz um mandado de busca e apreensão que deverá ser cumprido por um oficial de justiça.

O devedor terá um prazo de 5 dias úteis, contados à partir do cumprimento do mandado de busca e apreensão, para quitar a dívida. Em caso de apresentação de defesa, o devedor contará com um prazo de 15 dias para reunir os documentos necessários. Assim, caso o devedor não cumpra os prazos, o banco passará a ter propriedade pelo bem, podendo leiloá-lo para quitar a dívida.

O ideal em situações como essa, é que o devedor procure a ajuda de um advogado para saber quais são as melhores formas de evitar a apreensão de seu veículo. É o advogado que vai calcular se os valores de multa e juros cobrados sobre o valor da dívida não são abusivos, por exemplo.



Importante!

O pedido de busca e apreensão de veículos não é a primeira opção das instituições financeiras. Antes disso, você receberá diversos contatos e tentativas de negociação da dívida. Caso isso aconteça, procure conversar e explicar sua situação, buscando renegociar prazos mais longos ou uma taxa de juros menor. Lembre-se: o interesse do banco não é de tomar o seu bem!

Veja também

Descubra 3 maneiras de conseguir um advogado gratuito em todo o país!




comentários