Alugar um carro pode ser um bom negócio?

  • Google+
  • LinkedIn

Em alguns casos, o aluguel de carro pode ser um bom negócio! Confira quando o aluguel vale mais a pena do que investir seu dinheiro na compra de um carro.

alugar-carro



Se você está pensando em ter um veículo para emergências e não quer usá-lo todos os dias, que tal calcular se vale a pena alugar em vez de comprar um? Dependendo do preço, você tem mais vantagem ao pagar pelo uso do carro do que bancar todos os custos, como financiamento, seguro, combustível, manutenção e outros gastos anuais.

O mais importante antes de tomar essa decisão é se organizar para que o custo de cada aluguel não comprometa seu orçamento! Então, confira alguns casos em que o aluguel costuma ser um bom negócio e saiba o que fazer para solicitar este tipo de serviço.

Em quais situações vale a pena alugar um carro?

1. Em viagens, festas ou eventos que não acontecem sempre

Por serem ocasiões pouco comuns, você não terá esse gasto todo mês. Dependendo do dinheiro que pretende gastar, talvez dê para incluir o aluguel do carro no planejamento. No caso da viagem, você pode alugar o veículo somente na cidade em que passará as férias ou o feriado, então, pagaria menos do que se fizesse o trajeto todo. E saiba que as locadoras costumam fazer promoções nos períodos de baixa temporada. Então, se possível, planeje suas férias nos meses menos movimentados, como julho, dezembro e janeiro.

2. Para fazer um test drive

Esta é uma situação recente, mas que está atraindo quem decidiu comprar um carro e quer saber se fará a escolha certa. “Ao alugá-lo por um ou mais dias você observa o real desempenho dele no trânsito da cidade e na estrada. O test drive feito em alguns minutos em uma concessionária não é suficiente para uma avaliação completa do veículo”, conta Paulo Nemer, presidente do Conselho Nacional da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA).

Mas quanto custa para alugar um carro?

Antes de descobrir os preços, saiba que você precisa ter um cartão de crédito no seu nome, dentro da validade e com limite de crédito disponível. São poucas as locadoras que aceitam outras formas de pagamento ou que liberam o aluguel quando o cartão de crédito não pertence a quem vai conduzir o veículo.

O motivo: a empresa exige que você deixe um valor caução de garantia. Então, ela faz uma cobrança no seu cartão de crédito para garantir que terá o veículo de volta. Este valor será cancelado assim que você entregar o carro. Porém, enquanto você estiver com o veículo, terá um cartão de crédito sem limite.

Cobrança diária do aluguel de carro

As locadoras da cidade de São Paulo (SP) cobram em média 80 reais pela diária de um carro popular – esse preço equivale a uma corrida de táxi entre a Avenida Paulista e o aeroporto de Guarulhos. “Praticamente pelo mesmo valor de uma corrida, você tem um veículo à disposição por 24 horas”, compara Paulo Nemer, presidente do conselho da ABLA. E, por quanto mais tempo você precisar do carro, maiores serão os descontos das locadoras. Existem planos semanais, quinzenais ou mensais, por exemplo, que diminuem os valores das diárias. Mas como o preço muda conforme a empresa e o tipo de veículo, não deixe de pesquisar antes de solicitar o serviço. Você pode fazer isso pela internet em sites como o RentCars, que compara os preços das locadoras.

Taxas e tarifas do aluguel de carro

Nestes 80 reais da diária estão inclusas a taxa administrativa (que para um modelo de carro popular sai em torno de sete reais) e a tarifa de quilometragem livre. Antes de fechar o aluguel, você precisa escolher um tipo de tarifa, e elas variam entre quilometragem livre (pagamento por diária alugada) e quilometragem controlada (você paga um valor para a diária e outro a mais para cada quilômetro que percorrer).

Para fazer a melhor escolha, leve em conta o motivo do aluguel. Se for utilizar o carro para um trajeto longo, como uma viagem, ou se não souber quantos quilômetros irá rodar, é mais indicado escolher a tarifa de quilometragem livre. Caso precise andar pouco com o veículo, você pode optar pela quilometragem controlada, que sai por um preço menor. E saiba que o valor também sofre alterações se você pegar o carro em uma cidade e precisar devolvê-lo em outra. Isso será combinado no momento de você fazer a locação, então, não se esqueça de perguntar sobre essa mudança do custo.

Acessórios do carro

O valor do aluguel varia conforme o modelo, o ano de fabricação e os acessórios do carro, como ar condicionado, tipo de motor e direção, quantidade de portas e lugares para passageiros, etc. Em São Paulo, por cerca de 80 reais é possível alugar um modelo de carro popular básico por um dia, como um Gol motor 1.0, com espaço para cinco passageiros, sem ar condicionado, com direção e câmbio manuais, duas portas, CD player e espaço para duas ou três malas no porta-malas.

Gasolina

Quando você aluga um carro, ele vem com o tanque cheio e a exigência das locadoras é recebê-lo de volta desse jeito: totalmente abastecido. Caso contrário, o tanque será cheio na locadora e o custo provavelmente será maior do que no posto.



Como alugar um carro?

Você pode ir diretamente às agências que prestam esse serviço ou fazer o pedido por telefone. Algumas locadoras também permitem que você alugue pelo site. Quando for procurar uma empresa, pesquise as locadoras que são conveniadas da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA). “Esse é um referencial importante, pois mostra que a empresa segue o Código de Conduta Ética do setor e está no mercado, no mínimo, há mais de um ano”, explica o presidente do Conselho Nacional da entidade. Para fazer isso, entre no site da ABLA, selecione seu estado e a cidade na opção “Quer alugar um carro?”, que fica disponível no lado direito da página. Você também pode conferir essa informação no site da própria locadora, procurando se ela possui o selo “Locadora Associada”.

Quais cuidados tomar ao alugar um carro?

Além de pesquisar os melhores preços entre as locadoras e os modelos dos veículos, pergunte sobre descontos e promoções. E não deixe de verificar a garantia do contrato de locação, que contém todas as informações sobre o aluguel que você está fechando, inclusive os valores.

E se eu tiver algum problema com o veículo alugado?

Se você fechou o seguro, estará protegido. Ao alugar um carro, existe a opção de fazer um seguro para situações como roubo, incêndio ou colisão. Nesse caso, os prejuízos ficam por conta da locadora – inclusive o fornecimento de um veículo novo para o cliente. Mas essa proteção tem um preço, então, não se esqueça de perguntar tudo isso antes de fechar o negócio.

Quais os documentos necessários para alugar um carro?

Apresente sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH), seu RG e CPF, caso esses números já não constem na sua carteira de motorista. Mas não deixe de checar essas informações em cada locadora, pois as condições podem variar.

O que fazer: alugar ou comprar um carro?

Se você ainda está em dúvida, a melhor maneira de decidir é comparando gastos. Quem usa um carro alugado não precisa gastar com o licenciamento, o emplacamento e a manutenção, pois todos esses custos ficam por conta da locadora. Sem contar o dinheiro que você economiza na compra do carro e no prejuízo da depreciação, ou seja, quando você só consegue vender o veículo por um preço menor do que gastou na compra.

Veja só um exemplo:

Para alugar um Fox na cidade de São Paulo, você gasta aproximadamente 110 reais em uma diária, com quilometragem livre e já inclusa taxa administrativa. Caso use o carro todos os dias, terá um custo de 3.300 reais por mês – o que daria mais de 39 mil reais por ano.

Um modelo igual e usado custa cerca de 30 mil reais. Para financiá-lo por três anos, dando entrada de oito mil reais, você terá um gasto de aproximadamente 800 reais por mês. O seguro de um Fox está cerca de 400 reais mensais e, em combustível, considere o gasto de 200 reais por mês. Também vamos inserir o valor do IPVA, em média 1.400 reais para um Fox. Somando tudo, você tem um gasto de cerca de 2.800 por mês.



Para alugar um carro desse modelo por 30 dias, inserindo descontos, lembre que você gastará quase 3.300. Por mais que você ainda precise pagar seguro e manutenção quando compra um carro, o veículo é um bem que você ainda pode vender para recuperar parte do dinheiro investido. Nesse caso, a melhor escolha para quem precisa do carro diariamente é a compra de um usado.

Prefere ter seu próprio veículo?

Clique aqui para saber como decidir entre um modelo novo ou usado. E mais: calcule o financiamento do seu carro pelo celular!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.