Posso deixar de pagar o aluguel durante a crise? Entenda - Konkero
ATENÇÃO! Nunca solicitamos depósito ou pagamento para liberação de empréstimo. Isso é ilegal.

Posso deixar de pagar o aluguel durante a crise? Entenda

Em momentos difíceis, o inquilino pode não conseguir pagar o aluguel ao dono do imóvel, mas é possível negociar os valores que ficarem atrasados. Saiba mais!

Muitas pessoas que moram em casas de aluguel têm dificuldade de manter o pagamento pela locação do imóvel, principalmente em períodos mais complicados, como desemprego ou até mesmo por conta de momentos de crise na economia. A pandemia do novo coronavírus fez com que a renda de muitos trabalhadores informais e com carteira assinada diminuísse, o que afetou o pagamento das contas e de outras cobranças mensais.

Durante esse período mais difícil em que a renda mensal tende a diminuir, muitos inquilinos estão procurando o dono do imóvel em que moram para negociar formas de isentar a cobrança do aluguel durante a pandemia e transferir o pagamento para os próximos meses.

Está com dúvidas se pode deixar de pagar o aluguel por um tempo até esse período mais complicado passar? Veja como negociar o valor com o locador do imóvel e não ter problemas com o aluguel atrasado!

Pausar o pagamento do aluguel: como fazer

A pandemia de COVID-19 afeta diariamente inúmeros setores e pessoas do mundo inteiro. Por isso, grande parte das empresas, companhias e bancos estão se mobilizando para atravessar esse momento difícil. Além desses negócios maiores, muitos locadores de imóveis e imobiliárias estão montando estratégias para facilitar o recebimento de aluguéis a longo prazo dos inquilinos durante a pandemia.

A melhor forma de pagar o aluguel do imóvel durante esse período é negociando os valores em aberto das parcelas com o dono do local. É fundamental entrar em contato com o locador e explicar a sua situação financeira. Um novo valor de aluguel pode ser negociado entre as partes ou a interrupção da cobrança durante alguns meses ser liberada.

Todos os acordos feitos com o dono da casa, do escritório ou do espaço alugado para moradia ou trabalho devem ser registrados em contrato para que, no futuro, ambas as partes não tenham problemas e dúvidas sobre o compromisso de pagamento que foi fechado.

Como pagar o aluguel durante esse período

O ideal é que, mesmo com a renda mais curta, o inquilino faça o pagamento de uma parte do aluguel durante os próximos três meses e, a partir do mês que a renda estiver melhor, efetuar os pagamentos que ficaram em aberto de forma parcelada nos aluguéis dos meses seguintes.

Independentemente do acordo que for fechado com o locador ou na imobiliária, é fundamental registrar em um documento ou contrato como ficarão os pagamentos durante e depois da pandemia.

Não consegui fazer um acordo com o locador do imóvel. O que devo fazer?

Segundo a Lei do Inquilinato, no artigo 19, “não havendo acordo, o locador ou locatário, após três anos de vigência do contrato ou do acordo anteriormente realizado, poderão pedir revisão judicial do aluguel, a fim de ajustá-lo ao preço de mercado”. A partir desse artigo, o inquilino que tiver mais de 3 anos de contrato possui o direito de revisar os valores cobrados do aluguel e solicitar na justiça uma negociação.

No entanto, para conseguir pausar as cobranças e negociar os pagamentos do aluguel, o inquilino deverá apresentar comprovantes da queda repentina de renda durante a pandemia, que podem ser comprovantes de pagamentos, holerites e comunicados da empresa onde trabalha informando sobre reajustes no salário. Dessa forma, um processo será aberto e avaliará a situação entre o locatário e o locador do imóvel.

Veja também!