Reajuste: veja quais remédios vão ficar mais caros

  • Google+
  • LinkedIn


Desde abril, o preço médio dos medicamentos subiu. Isso significa que quem for comprar remédio nas farmácias vai perceber que as caixinhas estão mais caras do que o comum.

Esse reajuste acontece todos os anos, e é realizado para acompanhar o preço dos materiais usados na fabricação do remédio e também os índices de inflação.



Medicamentos mais caros

Remédios para hipertensão, gastrite, úlcera, infecção urinária e respiratória tiveram um reajuste de até 6,31%. Ou seja, se um deles antes custava R$ 33, agora poderá chegar a R$ 35.

Anestésicos, antiinflamatórios, remédios para asma e anticoncepcionais também sofreram reajuste. Mas a diferença será um pouco menor.

Para não pesar no bolso





Mesmo com o aumento dos preços, dá para economizar na compra de remédios. Uma dica é usar os cartões de laboratório, que dão desconto em medicamentos de uso contínuo.

Além disso, dá para optar pelos genéricos e retirar remédios na Farmácia Popular. Confira 4 dicas para gastar menos na farmácia e economize!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.