Organize seu salário e deixe o orçamento da casa em dia

  • Google+
  • LinkedIn

Como você recebe seu salário? Uma vez ao mês, por semana ou por dia? Confira as dicas dos especialistas para administrar suas contas levando em consideração o pagamento que você recebe

Organizar salario



Existem maneiras diferentes de ganhar dinheiro. Você pode ser contratado em uma empresa e receber um salário fixo, trabalhar como autônomo ou fazer bicos. No entanto, na hora de organizar seu dinheiro, não faz tanta diferença a maneira como seu pagamento chega até você. O mais importante é saber com antecedência o que fazer com ele. “Independentemente do tipo de contrato de trabalho, o cuidado principal deve ser o planejamento e a organização para saber como gastar esse dinheiro antes de recebê-lo”, garante a consultora financeira Gabriela Vale, da Libratta. Confira a seguir um planejamento de quatro etapas para organizar suas contas e, em seguida, veja quais as melhores dicas conforme o tipo de salário que você recebe.

4 passos para qualquer profissional organizar o salário

1. Conheça o seu salário

Antes de organizar as contas, é necessário que você tenha consciência exata de quanto você ganha. “Algumas pessoas consideram somente a renda bruta e outras não sabem com precisão o quanto ganham”, conta a consultora financeira. A renda bruta corresponde ao valor cheio do salário de quem é contratado, que está sem os descontos. Então, a quantia que o funcionário recebe na conta corrente é sempre menor do que o valor do salário bruto. Nesse caso, a renda, ou salário líquido, será o dinheiro que o trabalhador recebe já com todos os descontos: INSS, Imposto de Renda e, em muitos casos, vale transporte e refeição. Na hora de planejar seu orçamento, use esta renda com os descontos. Na dúvida, use a calculadora da Konkero para descobrir seu salário líquido.

Quem é autônomo ou faz bicos precisa ter um controle ainda maior porque a renda muda todo mês. Se este for o seu caso, não deixe de anotar todos os serviços que você faz e os pagamentos que recebe. No final do mês, compare se faltou algum pagamento e some todos os valores.

2. Organize esse dinheiro

Para organizar a sua renda mensal, a consultora financeira sugere que você imagine esse dinheiro dividido em diversos envelopes: gastos mensais, gastos diários e a quantia para guardar na poupança. Se você está com dívidas, por exemplo, priorize o pagamento delas antes de pensar em guardar dinheiro.

Na hora de decidir quanto dinheiro irá para os investimentos, pense no que você pretende conquistar nos próximos meses e anos. “Estipule o valor que você deverá juntar para as conquistas e em quanto tempo. Então, divida o valor pela quantidade de meses e calcule a ‘parcela’ que você deverá guardar mensalmente”, explica Gabriela. Para o fundador do Instituto de Educação em Gestão Familiar, o consultor Emerson Fabris, além de estabelecer essa meta é necessário guardar pelo menos 10% do seu salário todo mês.

Depois de descobrir quanto você teria que guardar mensalmente, é hora de calcular os gastos mensais. Separe a quantia que você precisa para as contas fixas e depois liste os gastos do dia a dia, prevendo um valor próximo ao real para cada um. “Separe conforme a situação, por exemplo, supermercado, alimentação fora de casa, transporte, farmácia, presentes, lazer etc”, aconselha Gabriela.

3. Escolha como fazer a organização do seu orçamento

Agora que você já sabe como se organizar, chegou a hora de pensar na melhor forma de fazer isso. Para criar o seu plano de orçamento, você pode usar uma tabela no computador em programas como o Excel, aplicativos para celular, ou um caderno. “Pode ser um bloco de anotações ao lado da cama, por exemplo, para fazer os lançamentos diariamente”, sugere Fabris. O importante é escolher a maneira mais prática de fazer isso dentro do seu dia a dia para você não desistir no meio do caminho.

4. Acompanhe seus gastos



Não basta criar a sua forma de organizar o seu salário, é preciso acompanhá-la e atualizá-la constantemente. “Ao longo do mês, não deixe de monitorar o planejamento para inserir informações e não estourar o orçamento. Aconselhamos pelo menos 15 minutos do seu dia para esta tarefa”, sugere Gabriela.

Como organizar a grana segundo seu tipo de renda

Trabalhador com contrato CLT que recebe o salário uma vez por mês

Nesse caso, basta seguir os quatro passos do planejamento acima. “Quem trabalha com carteira assinada e recebe tudo de uma vez pode negociar a data de vencimento das contas a partir do dia 10 de cada mês”, sugere o consultor Emerson Fabris.

Trabalhador com contrato CLT que recebe o salário duas vezes por mês

Aqui a dica da consultora Gabriela é programar o pagamento das suas contas mensais em uma data após o recebimento do maior pagamento. Mas escolha uma data próxima ao pagamento. Além disso, não deixe de seguir os quatro passos indicados acima para você organizar seu salário.

Trabalhador autônomo que recebe por semana

Para o fundador do Instituto de Educação em Gestão Familiar, procure planejar o vencimento das suas contas para o dia 10 em diante. Além disso, saiba que os autônomos precisam ter mais atenção na reserva de dinheiro porque em algumas semanas o faturamento é maior, mas nem sempre ele se mantém assim. Então, a sugestão é fazer um cálculo da média de recebimento do último ano e considerar esse valor como uma previsão da sua renda mensal. E não deixe de guardar dinheiro. “Procure fazer uma reserva regulatória, ou seja, nos meses em que receber mais do que esta média calculada do ano anterior, guarde a diferença para os meses em que o seu faturamento for menor”, afirma a consultora.



Trabalhador que faz bicos e recebe por dia:

Para quem recebe por dia, a organização com o salário precisa ser maior do que nas outras situações. Além do orçamento, o consultor Fabris considera fundamental anotar os ganhos e gastos diariamente – por mais que dê trabalho. E guardar dinheiro também é necessário! “Nestes casos, a dica é economizar pelo menos 10% dos ganhos”, afirma o consultor.





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.