O que é a portabilidade de crédito

Descubra como funciona a portabilidade de crédito e saiba como você pode conseguir.

Imagine a seguinte situação: você fez um empréstimo no banco onde tem conta, mas pouco tempo depois descobriu que outra instituição consegue cobrar menos juros por este mesmo valor.

O que você faria? Já ouviu falar em portabilidade de crédito?

Entenda o que é a portabilidade de crédito

Também chamada de refinanciamento de dívida, essa operação nada mais é do que tirar a dívida de um banco e passar para outro, quando a oferta valer a pena – ou seja, quando você conseguir pagar menos por isso.

Veja só este exemplo: você pegou um empréstimo consignado no Itaú, mas as taxas de juros do Banco do Brasil são menores para esse crédito. Então, o que você faz? Não existe problema nenhum em procurar o gerente no Banco do Brasil e perguntar sobre a portabilidade de crédito. Explique quanto você pegou emprestado, quantas parcelas ainda precisa pagar e pergunte se eles têm uma proposta melhor. Caso a transação seja aprovada e você decida fazer a portabilidade do crédito, você pagará a dívida para o Banco do Brasil.

Como saber se o refinanciamento vale a pena

Se você desconfiar que outra instituição tem melhores condições de pagamento (ou seja, taxa de juros menor), peça o Custo Efetivo Total (CET) da sua dívida tanto no banco atual quanto no novo banco (para onde você pretende levar a dívida). Este valor mostra todos os custos e as despesas que são cobradas por estes dois bancos. Em seguida, compare os valores: se o CET do novo banco for menor, vale a pena fazer a migração.

Precisa de dinheiro para abrir o seu negócio? Com juros a partir de 1,15% ao mês, o refinanciamento de imóvel da Creditas está entre as melhores alternativas do mercado. Solicite a sua proposta clicando aqui.

Mas fique atento porque talvez o banco exija que você abra uma conta, e pode cobrar taxas por isso. Na dúvida, pergunte quais custos você terá com essa troca.

Descubra mais detalhes sobre esta operação e saiba como fazer a portabilidade de crédito clicando aqui.




comentários