Dívida Ativa IPVA e outras: como regularizar essa cobrança

  • Google+
  • LinkedIn

Impostos e taxas atrasadas podem virar uma dívida ativa com o governo. Saiba o que acontece se você tem essa dívida e descubra como regularizar sua situação

shutterstock_180918242



Quando você deixa de pagar uma conta para o governo, como impostos do carro ou da casa, multas e taxas obrigatórias, essa pendência vai para a dívida ativa. O que acontece quando você tem uma dívida com o governo é diferente da consequência da inadimplência comum. Por exemplo, a dívida ativa não negativa o seu nome, mas permite uma execução fiscal – e isso pode fazer você perder o imóvel comercial, o carro ou qualquer outro bem.

Além disso, ela dificulta qualquer aprovação de empréstimo ou parcelamento que você precise futuramente. Sem contar que, para vender o carro, por exemplo, será preciso quitar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e resolver a sua pendência financeira com o Governo. E isso vale para a venda de qualquer outro bem.

Como descobrir se você tem uma dívida ativa do IPVA ou outra

Existem duas categorias para esse tipo de dívida: tributária e não-tributária. A tributária pode ser qualquer tipo de imposto, enquanto a não-tributária inclui o pagamento ao governo que não envolva impostos, como taxas de ocupação, de serviços prestados em lugares públicos ou indenizações, por exemplo.

Se você não paga o que deve e chega a data de vencimento da conta, essa pendência já poderia ser inscrita como dívida ativa, ou seja, ela teria um registro oficializando que você deve para o governo. O prazo para essa conta virar uma dívida ativa depende da data de vencimento da cobrança, que pode variar de um a três anos.

Ao atrasar o pagamento, você recebe em casa uma notificação de que está inadimplente. Então, terá um prazo para acertar o que deve, caso contrário, receberá a Certidão de Dívida Ativa.

Entenda a cobrança administrativa e judicial

A cobrança administrativa é a primeira tentativa que o governo faz para que você acerte o pagamento. Então, a justiça envia um contrato para a sua casa, já com os prazos e número de parcelas definidos – mas esses valores podem ser discutidos e negociados. Se você puder, procure fechar o acordo nessa etapa porque, dessa forma, não terá os gastos que envolvem um processo judicial.



Quando o acordo não acontece, o governo faz uma segunda tentativa, dessa vez mais rígida: a cobrança judicial. Por ser uma ação movida na justiça, além de cobrar o valor da dívida, o governo inclui os custos do processo e o pagamento de advogados – o que aumenta o valor final a ser pago.

Descubra como quitar uma dívida ativa

Não tem jeito: você precisa entrar em um acordo com o governo e começar o pagamento das parcelas. Caso você não concorde com a cobrança, o caminho é procurar ajuda de um advogado. A recomendação da Konkero é que você tente resolver a dívida o quanto antes, de preferência assim que receber a notificação. Se não for possível, tente chegar a um acordo levando em conta a proposta que o governo enviou para a sua casa.



Você pode entrar em contato com a Central de Atendimento pelo telefone 4003-0494 (capitais e regiões metropolitanas) ou pelo 0800-8800494 (para outras localidades).

O Simplic oferece empréstimo pessoal online. Solicite de R$ 500 a R$ 2.500 sem sair de casa e receba o dinheiro em poucas horas. Basta clicar aqui.

Atenção! Assim que pagar tudo que deve, guarde os comprovantes de pagamentos que você fez. Além disso, será necessário tirar a Certidão Negativa de Débito (CND), pois esse documento é mais uma comprovação de que a dívida foi paga. Peça a certidão pessoalmente, ao órgão público envolvido na cobrança, ou faça a solicitação pela internet no site da Receita Federal. O governo tem um prazo de dez dias para disponibilizar o documento.





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.