X Fechar

O guia para seu
dinheiro valer mais




Depois de quanto tempo sem pagar a dívida o nome fica sujo?

28/11/2014 - por Carina Morpurgo

Entenda as etapas do processo de negativação e saiba qual o prazo que as empresas costumam oferecer para você resolver a pendência financeira

Quando você deixa de pagar uma dívida e não resolve essa situação, seu nome fica sujo e vai parar nas listas de empresas como Serasa Experian, SPC Brasil e SCPC Boa Vista. Os principais motivos para a negativação são: não pagar as dívidas, como financiamentos, empréstimos, conta de água, fatura do cartão, e passar cheques sem fundo.

Quando você tem uma conta e perde o prazo do pagamento, a empresa para a qual você deve tem o direito de avisar a Serasa e o SCPC já no dia seguinte. Então, você recebe uma carta com um prazo para regularizar essa situação. Caso não pague a dívida até a data limite, terá o CPF negativado. No caso do cheque sem fundo, a situação é muito parecida. Assim que a empresa identifica o problema no cheque, ela também pode informar a Serasa. Nesse caso, você também será avisado que existe um prazo para resolver a dívida antes de ter ficar com o nome sujo.

Depois de quanto tempo o CPF negativa

Normalmente, você terá 10 dias para resolver a situação após receber a carta que avisa sobre a dívida. Mas esse período não é sempre o mesmo porque o nome pode sujar assim que alguém começa a dever. Na dúvida, procure negociar o atraso no pagamento o quanto antes. Veja a seguir como é a negativação em cada empresa que registra as informações dos devedores e quais sites acessar caso receba alguma notificação destas empresas.

SERASA EXPERIAN

A Serasa envia uma carta-comunicado para o endereço do consumidor que deixou de pagar uma dívida. Quem recebe essa carta tem até 10 dias para procurar a empresa com quem fez a dívida e regularizar a situação. Ao perder esse prazo, você será negativado pela Serasa. Neste documento estão informações como o valor do débito, a data de vencimento do contrato e o número, além de dados para entrar em contato com a instituição credora. Acesse o portal da Serasa para entender melhor essa carta.

SCPC BOA VISTA

Aqui você também terá um prazo de 10 dias a partir do recebimento da carta do SCPC para pagar o que deve. Se isso não ocorrer, o CPF fica classificado como inadimplente para as empresas que estão no cadastro do SCPC, ou seja, o nome suja. Esta carta informa o valor da dívida e os dados da empresa que você precisa procurar. Se você recebeu esta notificação em casa, acesse o portal do SCPC para consultar os seus débitos.

SPC BRASIL

Após o aviso do SPC, você terá 10 dias para quitar o que deve. Procure a empresa para qual está devendo e leve o extrato de inadimplência que você consegue tirar no site do SPC. Acesse esta página caso tenha recebido a notificação deste serviço de proteção ao crédito.

Existe um prazo para a negativação sair

Quando o nome está sujo, o CPF fica irregular até você quitar o que deve. Mas assim que pagar a dívida é seu direito ter o nome limpo em até cinco dias úteis. Então, se você já começou a pagar o que deve, consulte nos postos da Serasa ou do SPC se a empresa já retirou seu nome da lista dos negativados.



Mesmo quem não consegue pagar o que deve terá o nome limpo, mas após cinco anos da negativação. No entanto, prefira negociar a dívida em vez de esperar este prazo, pois só existem desvantagens. Confira algumas:

– Ter o nome limpo após cinco anos não elimina a dívida, ou seja, a empresa continuará com a cobrança;

– O nome sai do Serasa, SPC e SCPC, mas a empresa para a qual você deve dificilmente dará qualquer tipo de crédito para você;

– Durante cinco anos você terá muita dificuldade para conseguir crédito, seja cartão, parcelamento, empréstimo ou financiamento.

 

Obrigado! Sua avaliação foi registrada com sucesso!
Gostou? Dê uma nota para esta matéria! 10 leitores deram sua opinião.

Comentários:

Nós procuramos responder todas as dúvidas dos nossos leitores, mas devido à quantidade de perguntas que recebemos diariamente, nem sempre vamos responder todas as perguntas enviadas. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.

Comentários temporariamente desativados.








Copyright © 2014 Konkero. Todos os direitos reservados. | Regras de uso do site | Política de privacidade


Somos um guia online com conteúdo jornalístico independente que informa você nos assuntos que envolvem dinheiro.

A Konkero preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe, ressaltando, no entanto, que não faz qualquer tipo de recomendação de investimento ou assessoria financeira, não se responsabilizando por perdas, danos (diretos, indiretos e incidentais), custos e lucros cessantes. Confira antes as regras de uso do site e nossa política de privacidade.

Você pode usar as informações contidas nesse site, mas não deve nunca deixar de fazer suas próprias pesquisas e coleta de informações antes de tomar qualquer decisão. As condições dos bancos, empresas e instituições financeiras podem mudar diariamente. É fundamental que você negocie com diferentes empresas antes de fechar negócio e confirme as informações disponíveis. Não nos responsabilizamos por informações imprecisas ou desatualizadas que podem ser encontradas nesse site.

Nós frequentemente linkamos para outros sites, mas nós não podemos ser responsáveis pelo conteúdo e oferta deles.

Nós procuramos responder dúvidas dos nossos leitores. Isso não significa que somos obrigados a responder todas as perguntas que recebemos. Também não nos responsabilidade por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas. Elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc.