6 passos de como negociar dívidas com os bancos

Conhecer suas contas e procurar o credor são algumas atitudes importantes de como negociar as dívidas com os bancos. Saiba o que fazer!

Se as contas saíram do controle e está difícil pagar o valor atual da dívida, é importante negociar o quanto antes com o banco, pois não vale a pena deixar a dívida prescrever. Confira cinco passos sugeridos pelo coordenador do Núcleo de Superendividamento do Procon-SP, Diógenes Donizete, para negociar tudo que você deve!

6 passos para a negociação de dívidas

1. Conheça seus gastos

Anote quanto dinheiro entra na sua conta e separe as despesas essenciais daquelas que podem ser cortadas. Assim, você sabe qual a sua situação financeira, quanto dinheiro consegue separar para pagar essa dívida e faz propostas que possa cumprir.

2. Separe os comprovantes de renda

“Pegue as últimas faturas do cartão, o extrato da conta corrente com o limite do cheque especial ou as cópias do contrato”, aconselha Diógenes. É importante levar esses papéis na negociação para comprovar suas condições de pagamento.

3. Entre em contato com o banco credor

Você pode ligar para o autoatendimento do banco ou ir até a agência e marcar a negociação. O ideal é tentar levantar os valores e propostas de uma eventual negociação por telefone. Assim, você não perde tempo e pode avaliar a proposta com calma.

4. Tenha soluções em mente

Ao sentar com o credor na mesa de negociação, seja honesto, exponha sua situação financeira e quanto pode pagar. Sugira alternativas que mostrem ao banco que você está disposto a quitar a dívida. Para isso, você pode propor uma diminuição de juros, um aumento no número de parcelas ou o pagamento de um valor à vista para que as outras mensalidades caibam no seu bolso.

5. Analise com cuidado a proposta que receber do banco

Não aceite o novo valor sem pensar a respeito. Ouça com atenção e veja se você pode pagar a dívida nas novas condições. “Não adianta fazer um acordo, pagar uma ou duas parcelas, e voltar a ser inadimplente”, diz o coordenador do Procon-SP. E mais: assine o papel apenas quando tiver certeza que a nova proposta cabe no seu bolso, isso porque ele tem validade como uma nova dívida.

Outro ponto importante é que o banco não é obrigado a fazer diferentes propostas. Isso vai depender muito da dívida, do momento do banco, etc. O importante é você tentar ver o máximo de possibilidades que o banco oferece.



6. Feche a melhor proposta de negociação com o banco

Depois de seguir todos os passos e sendo possível o novo acordo para quitar a dívida chegou a hora de fechar. Aí é importante se certificar de todos os detalhes do acordo como os valores, datas de vencimento, etc. para não ter surpresas.

Troque dívidas caras por uma mais barata! Com juros a partir de 1,15% ao mês, o refinanciamento de imóvel da Creditas está entre as melhores alternativas do mercado. Solicite a sua proposta clicando aqui.

Receba ajuda!

Órgãos de defesa do consumidor podem ajudar nesta negociação. O Procon-SP, por exemplo, oferece um serviço de orientação, planejamento financeiro e apoio na reunião da negociação. Clique para saber mais.




comentários