Baixou Agora: um novo jeito de comprar barato

  • Google+
  • LinkedIn

Ele mostra, gratuitamente, se o produto que você está pesquisando tem um preço menor em outra loja – e direciona você até essa página

baixou-agora-comprar barato



Quem já conhece os sites comparadores de preços, como Buscapé e Bondfaro, tem uma nova maneira de pagar menos no produto que procura. O Baixou Agora é uma extensão que fica no seu navegador e mostra se existem preços melhores do que o valor encontrado – desde que faça a busca em uma loja parceira do Baixou. “Uma vez instalado no computador, ele consulta automaticamente o preço do produto em outras lojas toda vez que alguém procura algo”, explica Patrick Nogueira, criador do site.

Atualmente, são mais de três milhões de produtos monitorados em mais de 30 lojas virtuais parceiras, como americanas.com, Netshoes e Submarino – que podem dar descontos exclusivos para quem usar o Baixou Agora. Se você faz compras online, vale a pena testar essa extensão. Mas saiba que é preciso fazer o download da ferramenta para que ela seja instalada no seu navegador.

Entenda como a ferramenta funciona

Faça o download do Baixou Agora para instalar a extensão. Toda vez que você entrar em um site de vendas e digitar um produto, verá uma barra azul no alto do navegador apontando aonde você pode encontrar o melhor preço daquele produto e quanto ele custa naquela loja. “O Baixou é uma forma de lembrar o usuário que precisa comparar preços porque, dependendo do momento e da euforia, é comum se esquecer disso”, diz Patrick. “Além de ser uma forma de se proteger contra os e-mails que anunciam promoções, mas que nem sempre têm os melhores preços”, completa.

Por isso que, ainda nessa barra do Baixou Agora, existem as opções para comparar mais preços e ver a mudança de valor que o produto sofreu recentemente. Também é possível monitorar um produto. Por exemplo, quando fizer uma pesquisa e a barra aparecer, selecione a opção “Quer pagar quanto?”, escolha o preço que você gostaria e pronto: a ferramenta está fazendo o monitoramento. Então, se a ferramenta encontrar esse valor, você receberá um e-mail e/ou SMS avisando que o preço baixou e apontando em qual site.

Vale saber que nem sempre os produtos estão disponíveis nas lojas, pois dependem do estoque de cada lugar – mas a Konkero testou a ferramenta e viu que essa informação fica clara no momento de fazer a pesquisa.

Se é gratuito para você, como eles ganham dinheiro?

As lojas parceiras do Baixou pagam uma comissão pelos produtos vendidos, que varia de 2% a 10%. Dessa forma, eles conseguem manter a ferramenta gratuita e acompanham os preços dessas lojas com mais facilidade. “Apesar disso, monitoramos também quem não é parceiro para oferecer uma melhor variedade”, explica o empresário. O site não tem propaganda – que seria outra forma de ganhar dinheiro – porque os empreendedores não aceitam publicidade de empresas que não garantem os menores preços. “Adotamos essa postura porque queremos que o consumidor confie no nosso site e faça compras por lá”, explica Patrick.

Comparar nunca é demais!

Além do Baixou Aqui, você pode pesquisar em quatro sites que comparam preços.

A HISTÓRIA DO BAIXOU



Conheça um pouco mais sobre a trajetória deste empresário e inspire-se para planejar o seu negócio próprio!

Patrick Nogueira, à esquerda, fundador do baixou, e Rodrigo Nogueira, à direita, sócio da empresa
Patrick Nogueira, à esquerda, fundador do Baixou, e Rodrigo Nogueira, à direita, sócio da empresa

Coragem e planejamento

Patrick, criador da empresa, com formação em Engenharia Elétrica, trabalhava nessa área em uma fábrica de carros até decidir largar o emprego. “Como eu sabia programar, pensei que seria uma boa ideia acompanhar os preços de lojas virtuais em um blog”, diz Patrick. Então, em 2008 ele criou o Boas Promoções para fazer esse monitoramento. A ideia deu tão certo que Patrick pediu demissão para se dedicar somente ao novo projeto. “Eu comecei a ganhar três vezes mais com o site, então, achei que era hora de sair do emprego e me dedicar somente a esse trabalho”, lembra.

Em 2011, Patrick teve a ideia de montar o Baixou quando percebeu a dificuldade dos consumidores em encontrar boas promoções na Black Friday daquele ano. “Vimos que as pessoas procuravam pelo gráfico para saber se a loja não tinha aumentado o preço alguns dias antes da Black Friday só para falar que os produtos estavam mais baratos ali”, afirma Patrick. O empresário pensou em desenvolver o Baixou Agora com o gráfico que existe atualmente para ajudar os consumidores a fecharem a compra sabendo que estão fazendo um bom negócio.

Escolhas certas

Atualmente, o Baixou atinge mais de 900 mil pessoas cadastradas, já faturou um milhão de reais no ano passado, tem um funcionário e três sócios. Para chegar até aqui, o empresário contou com pessoas de confiança e que tivessem habilidades diferentes. Um dos sócios, por exemplo, é o irmão dele, Rodrigo Nogueira.

Persistência

Se engana quem pensa que Patrick recebeu pouco não. “No começo, ninguém queria aceitar a parceria. Mesmo assim eu voltava a ligar”, conta. “E quanto mais eu recebia um não, mais eu melhorava o site e colocava novas ferramentas”, revela o empresário. Foi com essa persistência que ele e os sócios conseguiram ampliar o negócio, pois toda vez que melhoravam o site, ofereciam algum teste em troca. As empresas aceitavam e, depois, gostavam dos resultados. “Não existe falta de tempo. Quando você quer fazer algo, arruma tempo, e não importa a idade e o horário. Hoje, quando eu acredito que algo vai dar certo, eu não desisto. Eu trabalho da melhor maneira possível e em qualquer horário. Acredito que se tiver que dar certo, sou eu quem vai fazer isso acontecer”, conclui.



Próximos passos

A ideia é levar o Baixou para outros segmentos, nesse caso, na pesquisa de passagens áereas. “Percebi que algumas diferenças de passagens aéreas chegavam a 50%”, conta o empresário. Portanto, até o final deste ano, o Baixou deve servir também para a compra de passagens e alertará por e-mail quando a sua passagem chegar ao preço desejado. Vamos ficar de olho!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.