Aprenda mais do que um idioma

  • Google+
  • LinkedIn

A ONG Cidadão Pró-Mundo ensina inglês gratuitamente para quem não tem como pagar pelo curso e dá uma aula sobre trabalho social

Parte da equipe de voluntários da ONG Cidadão Pró-Mundo
Parte da equipe de voluntários da ONG Cidadão Pró-Mundo

 



Quem mora em São Paulo (SP) ou no Rio de Janeiro (RJ) tem a chance de estudar inglês na Organização Não-Governamental (ONG) Cidadão Pró-Mundo. Esse trabalho é feito há 17 anos em comunidades nestas duas capitais e tem como custo único o valor dos livros – que não será cobrado de quem não puder pagar por isso. Os professores (mais de 450) são voluntários com bastante conhecimento em inglês e dão aulas para mais de 800 alunos atualmente. E você também pode fazer parte desse grupo! Para isso, precisa comprovar a renda e ter estudado (ou ainda estudar) em escola pública. Ficou interessado? Saiba mais sobre este projeto!

Onde se inscrever no curso de inglês da ONG Cidadão Pró-Mundo

Vá pessoalmente a uma das unidades onde a ONG atua – quem for menor de idade precisa ir acompanhado pelo responsável. Confira os endereços no site da Cidadão Pró-Mundo e leve um documento com foto, um comprovante de residência e um histórico escolar comprovando que você estuda ou estudou em escola pública.

Como as vagas são limitadas, você ficará em uma lista de espera caso não possa entrar nessa turma. Essa seleção leva em conta a motivação, a renda familiar e a ordem de chegada.

Como funciona o curso de inglês da ONG Cidadão Pró-Mundo

Existe um custo somente para os livros, que varia de R$ 30 a R$ 60. Estes materiais são oferecidos pela editora britânica Cambridge University Press por um preço menor, mas quem não tiver condições de pagar por isso agora pode comprovar a renda da família e receber os livros gratuitamente. A parceria da ONG Pró-Mundo com essa editora, além de disponibilizar bons materiais para as aulas, treina os professores com frequência.

Cada aula dura duas horas e meia e acontece uma vez por semana (sempre aos sábados ou domingos). As turmas têm cerca de cinco professores que se revezam por semana. Um dos pontos mais interessantes dessa troca é conhecer experiências diferentes, aprender sotaques e culturas que cada um tem para passar aos alunos. Mas tudo o que acontece na aula é anotado, então, o professor da semana seguinte entrará na aula sabendo o que aconteceu com cada aluno, quais exercícios foram dados e em qual ponto da matéria os alunos estão. Legal, não é?

Em relação ao método, o curso ensina inglês, mas as aulas abordam diversas questões. No começo, por exemplo, os alunos falam o básico sobre o país. “O aluno vai aprender a falar sobre quem é, vai saber o que falam sobre ele e o país. Já no final do curso, ele aprende a fazer um currículo, uma entrevista de emprego, enfim, toda a parte profissional para poder entrar no mercado”, explica Sarah Martins, coordenadora da ONG Cidadão Pró-Mundo.

Saiba mais sobre a ONG Cidadão Pró-Mundo

Ela conta com aproximadamente 20 parceiros para manter a quantidade de alunos e professores. As parcerias existem com escolas públicas, por exemplo, além do apoio que recebem de outras ONGs. Dessa forma, é possível ter um espaço estruturado para as aulas. Sem contar o apoio de ex-alunos que começaram a dar aula. “Sempre vamos investir no ser humano e essa é a nossa prioridade. Então, alunos que se sentem deslocados em outros lugares saberão aqui dentro que podem correr com as próprias pernas”, garante Sarah.



Mesmo quem tem dificuldade com o idioma consegue superar essa barreira. “Um exemplo aconteceu com uma aluna de 45 anos. Ela foi a prova de que todas as pessoas nascem com uma enorme capacidade de aprender”, explica Emilio Munaro, que é professor na ONG há 10 anos e, atualmente, diretor pedagógico de uma das unidades de São Paulo (SP). Essa aluna tirou 3,5 na primeira prova, mas conseguiu a nota 7,4 na média final. “O grande objetivo do projeto é ensinar e aprender. Você, enquanto cidadão, percebe a sua capacidade de aprender e crescer com a ONG”, conta o professor.

Existem casos em que o aprendizado turbina a carreira do aluno! “Outra estudante conseguiu um emprego em uma multinacional depois de estudar com a gente e, desde então, tem o curso de inglês pago pela empresa onde trabalha”, comemora Emílio.

Se você quiser ficar por dentro das vagas e do trabalho que a Pró-Mundo está fazendo, não deixe de curtir a fanpage da ONG.



E se eu quiser ser voluntário?

É preciso ter conhecimento avançado na língua inglesa, vontade e disponibilidade para ser voluntário. “Procuramos aquilo que chamamos de ‘brilho nos olhos’, que é a vontade de ensinar a alguém”, explica Emilio. Depois de um teste para ver o conhecimento de inglês, os voluntários recebem treinamentos para dar aulas e devem assumir o compromisso de dar aulas uma vez ao mês. E mais: são estes professores que elaboram os exercícios. Portanto, o trabalho voluntário pode ser uma boa para você que já tem um bom conhecimento de inglês, mas não quer esquecer o que já aprendeu e ainda se dedicar a algo que ajude as pessoas.

Mora em outro estado? Você também pode estudar inglês!

É possível estudar online em sites gratuitos aberto a qualquer público ou em um curso online específico para universitários. Não deixe de conferir estas opções para turbinar o seu inglês!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.