O que considerar na hora de escolher um concurso público

  • Google+
  • LinkedIn

Descubra três caminhos para decidir qual concurso prestar e conheça as exigências de seis grandes áreas, como fiscal, bancária, jurídica e outras

concurso_publico



Estabilidade financeira e benefícios da carreira pública com certeza estão entre os motivos que fizeram você desejar uma vaga nesta área, não é? Mas você precisa saber o que esperar dessa carreira como, por exemplo, que o salário será diferente conforme o cargo que você escolher. Além disso, é importante lembrar que, uma vez dentro de um cargo público, você só poderá mudar de área se fizer a prova novamente. Então, para garantir que a vaga escolhida atenderá suas expectativas, veja a seguir o que você deve considerar quando for escolher um concurso.

Três maneiras de decidir qual concurso público prestar

1. Decida pela sua formação

Em alguns casos, talvez você precise adiar seu sonho até completar a formação que a carreira exige. Nos casos dos concursos para a área jurídica, por exemplo, é obrigatório o curso em Direito. Já as faculdades de letras e jornalismo permitem que o candidato preste concurso para a Agência Nacional de Comunicações (Anatel), a Agência Nacional de Petróleo (ANP) e para a empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev).

2. Avalie a esfera pública

Existe a possibilidade de escolher um concurso municipal, estadual ou federal. O que muda entre eles é, principalmente, o salário. Enquanto as vagas municipais pagam um valor menor, as áreas da esfera federal atraem mais candidatos por conta da remuneração maior. Além disso, é importante saber que a carreira pública pode exigir que você mude de cidade, principalmente se você optar pela esfera federal.

3. Escolha pela área de atuação

É possível encontrar vagas em grandes áreas, como administrativa, bancária, fiscal, jurídica, policial, entre outras. Lembre que você precisa verificar se a sua formação escolar está dentro das exigências do concurso escolhido. Confira abaixo as características de seis grandes áreas, alguns exemplos de cargos que você poderia conquistar e quais as exigências de escolaridade.

– Bancária e correios

Concurso para trabalhar na Caixa Econômica Federal, no Banco do Brasil ou nos Correios. O edital costuma sair mais de uma vez por ano para cargos tanto de nível médio quanto superior. Ou seja, as vagas abrem com frequência. No caso dos Correios, além das disciplinas básicas, a prova cobra questões sobre informática. Já as vagas para o BNDES exigem conhecimentos em língua estrangeira.

Exemplos de cargos: Técnico de segurança, escriturário, técnico bancário, engenheiro civil.

Formação exigida: Nível médio.

– Petrobras

São os concursos para Petrobras e para os setores Transpetro, BR Distribuidora, Liquigas, Petrobras Biocombustível. Cada cargo pede questões específicas na prova, que variam de acordo com a formação do candidato. Uma dica é pegar provas de concursos anteriores do cargo que você deseja para analisar qual o tipo de questão cobrada. Além dos temas específicos, saiba que você precisa estudar disciplinas básicas, como português, matemática e inglês.

Exemplos de cargos: Técnico de exploração de petróleo, técnico de inspeção de equipamentos, engenheiro ambiental, engenheiro de produção, médico do trabalho.

Formação: Ensino superior em qualquer uma destas áreas: administração, agronomia, arquitetura, astronomia, biblioteconomia, ciências biológicas, contabilidade, ciências náuticas, direito, engenharia, física, geologia, meteorologia, oceanografia, psicologia, química industrial.

– Fiscal

Os salários e a formação necessária para a vaga são os principais incentivos para prestar um concurso público na área fiscal. No entanto, para ser aprovada, você deverá ter muita determinação. Além das matérias básicas e do inglês ou espanhol, a prova da área fiscal traz questões sobre legislação – que, dependendo do seu curso, será um tema completamente novo.

Exemplos de cargos: Agente fiscal de rendas, auditor fiscal do trabalho, auditor fiscal da receita federal, inspetor fiscal, analista tributário.



Formação: Ensino superior (que inclui cursos tecnólogos).

– Segurança pública

Quem pensa em se candidatar a uma vaga nesta área normalmente está interessado nos cargos que envolvem desafios da atividade policial, não é? Os salários podem ser bons, mas os valores mudam muito conforme a vaga – assim como a escolaridade exigida. Para a prova, além das disciplinas básicas, você deverá estudar direito administrativo e penal, mesmo que por conta própria. A altura mínima do candidato também é uma condição que pode eliminar muita gente da prova. Então, fique de olho nestas regras.

Exemplos de cargos: Policiais civis, policiais militares e Polícia Rodoviária Federal.

Formação: A exigência de escolaridade varia conforme a vaga e o estado. Confirme essa informação no edital. E saiba que os salários mais altos estão associados aos cargos que exigem uma escolaridade maior.

– Planejamento, gestão e controle

Essa área seleciona candidatos para com o planejamento e a execução de políticas públicas. Alguns locais de atuação são o Tribunal de Contas da União (TCU), o Ministério do Planejamento, a Controladoria Geral da União (CGU) e outras secretarias de planejamento dos estados e municípios.

Exemplos de cargos: Técnico operacional, técnico de informação, analista de finanças, agente administrativo.

Formação: Exigência em ensino superior nas áreas de administração, economia, ciências contábeis, estatística, tecnologia da Informação, entre outros.

– Jurídica

A área jurídica é exclusiva para os candidatos que se formaram em direito. Portanto, a prova cobrará conhecimentos específicos como direito Penal, Tributário e Civil.

Exemplos de cargos: Magistraturas, promotorias, procuradorias e defensorias



Formação: Ensino superior em direito.

Veja também!

Agora que você já sabe como decidir sua carreira na área pública, entenda o que é o edital dos concursos públicos e boa prova!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.