As dicas da consultora que aumentou em 7 vezes o faturamento das vendas de cosméticos

  • Google+
  • LinkedIn

Inspire-se com a história da empresária que ganhava R$ 200 no começo da carreira e hoje tem uma loja de roupas além de faturar R$ 1.500 somente com a venda de cosméticos

shutterstock_88260295



Revender cosméticos não era o trabalho dos sonhos, mas uma maneira que esta mulher encontrou para dar uma força no orçamento da casa. E foi assim que Marisa Prada Lourenço, formada em Geografia, deu início a esta enorme transformação profissional: se tornar uma empresária de sucesso! Com um faturamento de R$ 200 nos primeiros meses, Marisa sabia que precisava de planejamento para ganhar mais. E a tática deu certo! A empresária, aos 51 anos, é dona de uma loja de roupas em São Paulo (SP), que tem faturamento mensal de R$ 15 mil, além de tirar R$ 1.500 somente com a revenda de produtos de beleza – um valor sete vezes maior do que no começo da carreira!

O trabalho como consultora da Avon começou em 2005. “Não recebi indicação de ninguém para entrar nesse ramo, na verdade, pensei que poderia ser um bom negócio porque tenho muitas amigas e contatos que poderiam ser clientes”, lembra Marisa. Então, a geógrafa pesquisou bastante sobre este trabalho e decidiu se cadastrar como consultora da Avon – uma das maiores empresas de revenda de cosméticos do país. “Quando comecei, ganhava cerca de R$ 200 reais. Mas eu já tinha algumas estratégias para oferecer os produtos e aumentar as vendas!”, revela a empreendedora.

E você confere agora quais as três táticas de sucesso que Marisa colocou em prática para alavancar as vendas dos cosméticos!

3 dicas de quem turbinou as vendas de cosméticos!

1. Espalhar os catálogos de cosméticos onde você costuma ir

Distribuir o material de venda nos lugares que já frequentava foi uma das alternativas que Marisa encontrou para construir uma rede de clientes. “E foi uma estratégia muito eficiente! As pessoas já me conheciam, só não sabiam que eu tinha me tornado uma revendedora. Mas quando eu deixei os catálogos no salão de beleza e em outros lugares que eu frequentava, fiquei conhecida como revendedora e como uma possível ponte para encomendas”, conta.

2. Avisar as clientes sobre as promoções de cosméticos

Procure saber quais os produtos mais queridos das suas clientes e telefone para avisar sempre que eles estiverem em promoção! Assim, além de aumentar as chances de vender os produtos, você mostra para a cliente que é uma consultora atenta. E quando conseguir fechar a venda, agende as entregas em lugares próximos para ganhar tempo e leve os catálogos caso elas queiram ver mais algum produto. “Eu combinava um lugar e um horário específicos para encontrar as clientes e fazer a entrega de produtos. Também marcava esses encontros em cada troca de catálogos para as mulheres olharem os lançamentos sem o compromisso da compra”, revela a empresária.

3. Revender mais de uma marca de cosmético

Marisa começou como consultora Avon, mas logo se cadastrou com a Natura, a Mary Kay, a Tupperware, o Boticário e a Eudora. “Diversificar os ramos da sua revenda amplia seu mercado disponível, afinal, nem toda cliente que compra Boticário, compra Avon. E assim por diante”, ensina a profissional.



E a Konkero também dá a dica: se você já trabalha como autônoma em outro ramo, tente ser revendedora de produtos que combine com o seu negócio. Assim você turbina as vendas e aumenta a grana para o seu orçamento!

Amplie seu negócio!

As estratégias foram tão eficazes que Marisa decidiu dar um passo além: quatro anos depois do início da revenda, montou um ponto fixo para vender os cosméticos! E ousou um pouco mais: começou a vender roupas, além dos produtos de beleza. “As vendas de roupa começaram bem porque as clientes que passavam na loja para buscar as encomendas dos cosméticos sempre davam uma olhada nas roupas! Da mesma forma, quem estavam passando pela loja e entrava para comprar alguma peça, também se interessava pelos cosméticos. Uma coisa ajudou a outra”, conta a comerciante.



Hoje em dia, a revenda de cosméticos traz um faturamento de R$ 1.500, enquanto as vendas de roupa dão um retorno de R$ 15 mil. Um bom negócio, não é?

Quer se dar bem? Compre o que a cliente gosta

Na hora de fazer um estoque para o ponto físico, Marisa se preocupa em pedir o que ela sabe que vende. “Evite comprar o que as gerentes indicam se você sabe que não terá saída. Caso contrário, seu estoque fica parado e começa a dar prejuízo”, orienta a empresária. Então, você já sabe: conheça bem os gostos das suas clientes frequentes e pense nos produtos mais procurados quando fizer o pedido. “Estocar produtos só porque são lançamentos ou estão na promoção não é vantagem se você não tem demanda para vendê-los”, ensina.

Veja também





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.