50 reais no bolso e o sonho de uma vida melhor

  • Google+
  • LinkedIn

Lenir Cararo poderia ter um destino diferente e cuidar do negócio da família. Mas a vontade de transformar o próprio destino falou mais alto, e ele batalhou desde pequeno para ter um diploma universitário. Conheça essa história inspiradora!

SONY DSC



Lenir Cararo, o engenheiro que não desistiu de seguir um sonho

A vontade de estudar era maior do que qualquer dificuldade que Lenir Sérgio Cararo enfrentou desde os nove anos. Saiu da casa dos pais ainda criança, sempre trabalhou, andava a pé para economizar no transporte e juntou dinheiro durante anos para a graduação. Mas a persistência transformou essa realidade, que não é tão incomum no Brasil. Hoje, aos 41 anos, ele tem formação universitária e um emprego em uma grande construtora, liberando obras que custam mais de cinquenta milhões. Quer saber como ele alcançou essa conquista? Conheça a trajetória de Lenir e os motivos que o mantiveram nesse caminho.

A decisão mais difícil de todas

O primeiro instrumento de trabalho de Lenir foi um arado, ainda aos sete anos. Filho de pequenos agricultores, ele nasceu na área rural próxima à cidade de Erechim, no norte do Rio Grande do Sul, e começou a trabalhar para ajudar a família. Mas esse não era o futuro que Lenir queria ter. “Aos nove anos, quis sair de casa para continuar estudando porque a minha escola só ia até o quarto ano. Então, chamei meus irmãos, que tinham seis e quatro anos para conversar sobre a minha decisão”, lembra, rindo. “Eu reuni os dois e disse: ‘olha, eu não gosto de trabalhar aqui. Eu quero continuar a estudar e, para isso, vou ter que ir embora’. Meu irmão concordou e disse que cuidaria dos meus pais”, conta Lenir. Então, aos nove anos, ele foi morar com a avó para continuar estudando.

A mudança para São Paulo

A vida nova não seria apenas dedicada aos estudos. O avô de Lenir montou uma borracharia e contava com a ajuda do neto para tocar o negócio. A loja deveria fechar aos finais de semana, mas o garoto pediu para abrir as portas mesmo assim e ficar com o que conseguisse nesses dias. O dinheiro que ele ganhou nesse período foi o primeiro passo para a independência financeira.

Anos depois, com o ensino médio concluído, Lenir viu a oportunidade de fazer um curso técnico em São Paulo. E, mais uma vez, ele teria que ser determinado para derrubar todas as barreiras. “Meu tio morava em São Paulo e disse que me daria emprego no escritório dele se eu passasse em um curso técnico de edificações na Escola Técnica Getúlio Vargas. Esse curso era gratuito e tinha 1.600 candidatos para 60 vagas. Era bem concorrido”, lembra Lenir. Mas nada de desperdiçar essa chance! O tio enviou o roteiro de estudo do vestibular, e Lenir só tinha uma opção: ir para São Paulo uma semana antes da prova para estudar. “Eu passava o dia inteiro na Biblioteca Municipal do Ipiranga, que hoje é Biblioteca Roberto Santos, voltava para casa à noite e continuava estudando até três da manhã. Eu tive muita dificuldade. Foi quando percebi que aprendi pouco naquela escola municipal na roça”, lembra. A prova também foi trabalhosa, mas Lenir passou em 12º lugar. “Acho que esta foi a maior conquista da minha vida, pois aquele curso era o meu passaporte para uma vida melhor”, afirma, sorrindo.

Aos 17 anos, ele deu mais um passo em direção ao sonho de se formar na faculdade e foi morar em São Paulo. Tudo que tinha no bolso eram os cinquenta reais que ganhou do pai. Então, além de estudar, Lenir logo começou a trabalhar no escritório do tio, de domingo a domingo. “Recebia 234 reais, que eu usava para o aluguel e o transporte. Não queria ter amigos nem namorada porque como é que eu ia sair sem dinheiro? E voltava a pé da faculdade todas as noites para gastar menos no transporte e comer mais um lanche. No fundo, minha vontade era ir embora”, conta.

Unindo forças para o sucesso

Apesar de querer ir embora, Lenir ficou em São Paulo. “Nessas horas, a gente encontra pessoas que ajudam muito na vida”, disse o engenheiro, lembrando da esposa, Marta, com quem completou 20 anos de casamento. “Um dia ela me perguntou quantos anos de carteira eu tinha no escritório do meu tio. E eu pensei: carteira?! Não sabia que existia carteira de trabalho, nem que tinha que recolher INSS”, conta. Depois de três anos e meio trabalhando no escritório do tio, Lenir arrumou outro emprego como orçamentista em uma grande empresa. Com essa mudança, o salário subiu para quase mil reais – ou seja, uma nova vida começava.

A amizade com Marta virou namoro e, pouco tempo depois, casamento. “Quando estávamos quase concluindo a faculdade, já tínhamos um carro cada um e uma casa quase quitada. Então, decidimos ter um filho. Era preciso ter metas e batalhar juntos por elas. Foi o que fizemos. Quando você vem do nada, tem que se organizar para não se dar mal”, alerta.

Diploma na mão!

Finalmente chegou o momento de conquistar o diploma universitário! Aos 37 anos, Lenir concluiu a faculdade de engenharia, que foi paga com as economias feitas durante anos. Além de sonhar com o diploma, Lenir sabia que este passo aumentaria o salário nas empresas. “O curso técnico me deu um embasamento fantástico, mas enquanto o salário fica em 3 mil reais, um engenheiro recém-formado chega a ganhar 10 mil’, explica. E a estratégia deu certo. Entre as conquistas do casal, está um apartamento. “Antes, nós morávamos em um espaço pequeno, que era só quarto, banheiro e cozinha”, lembra Lenir.

4 dicas do engenheiro para alcançar seus sonhos



1.. Faça bem o seu trabalho – não importa qual sua função

“Eu acredito que tudo acontece por merecimento, ou seja, você faz e é reconhecido por isso”, defende Lenir. Por mais que o emprego atual esteja longe de ser o cargo dos seus sonhos, faça um bom trabalho. Segundo o engenheiro, os melhores locais para trabalhar são aqueles que reconhecem seu trabalho e oferecem oportunidade para seu crescimento. “Uma empresa só é boa quando ela valoriza um funcionário bom. Se você tiver que cobrar o reconhecimento, ou você é não é qualificado à altura, ou a empresa não é boa para você trabalhar”, explica.

2. Não peça demissão sem ter outro emprego em vista

Se você pensa em mudar de empresa, procure planejar essa troca de emprego. “Ficava no máximo dois anos em cada lugar para adquirir experiência, mas não passei um dia sequer desempregado porque sempre procurava outra empresa para trabalhar”, conta o engenheiro, que completou 25 anos de carreira em São Paulo.

3. Acredite no seu sonho, mas faça a sua parte

O futuro do Lenir poderia ser diferente, afinal, ele teria uma parte do negócio da família. Mas os planos daquele menino eram outros. “O que geralmente acontecia com os agricultores era dividir a terra entre os filhos. O meu pai já tinha pouca terra e dividiria por três, eu pensei ‘vou morrer de fome aqui’”, lembra. Lenir batalhou muito para traçar um futuro diferente e, por acreditar que poderia chegar lá, não desanimou mesmo nos momentos mais difíceis.

4. Não existe idade para investir em você

Lenir passou boa parte da carreira com um curso técnico no currículo. Somente depois partiu para a graduação e se formou aos 37 anos em engenharia civil – conciliando trabalho, filho e estudos. “Juntei dinheiro por cinco anos para retomar os estudos, mas a formação valeu a pena! Meu salário aumentou, assim como as possibilidades de atuação. Por isso que eu costumo falar para as pessoas não desistirem nunca que vai dar certo”, garante.

Conheça outras histórias incríveis que vão motivá-lo a ir atrás dos seus sonhos!

Empresário batalhou para que empréstimo de R$ 12 virasse milhões

Cabeleireira começou um salão de bairro e hoje atende mais de 100 mil clientes por mês



Ana Paula saiu do emprego para negócio que fatura meio milhão por ano

Conheça a história do empresário que abriu a escola de inglês Wise Up sem falar uma palavra do idioma





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.