Compare refinanciamento com empréstimo pessoal

  • Google+
  • LinkedIn

Está em dúvida sobre qual solução de crédito é a ideal para você? Compare aqui o refinanciamento com o empréstimo pessoal.

Compare refinanciamento com empréstimo pessoal



Quem precisa de dinheiro, seja para pagar uma emergência, reformar a casa, viajar ou quitar outras dívidas, pode contar com alguns tipos de crédito. E um deles é o empréstimo pessoal, que costuma ser aprovado com facilidade e cai na conta do cliente bem rápido.

Mas você sabia que esse empréstimo é um dos mais caros que existem no mercado? Pois é! De acordo com dados do Banco Central do Brasil, os juros de um empréstimo pessoal podem chegar a 23,72% ao mês, dependo do banco em que a operação é realizada. Isso significa que, no final das contas, você vai pagar muito mais do que o valor que pegou emprestado.

Além disso, se você se atrapalhar e não conseguir quitar alguma parcela, a dívida aumenta em pouco tempo. Afinal, os juros são compostos, ou seja, são calculados em cima do que você deve mais os juros do mês que você não pagou.

Existe um empréstimo mais barato

Uma saída para pegar dinheiro e não pagar juros tão altos é fazer um refinanciamento que pode ser refinanciamento de imóvel ou refinanciamento de veículo.

Mas atenção: esse empréstimo só é liberado para quem já tem um imóvel ou carro no próprio nome, pois o bem fica como garantia pelo pagamento do empréstimo. Desta forma, se você não pagar o que emprestou, o banco pode tomar a casa ou carro de você.

A vantagem é que, como o banco tem segurança de que não terá prejuízo, os juros do refinanciamento são menores – em média 2% ao mês. Além disso, você consegue mais dinheiro e o prazo para pagamento da dívida é longo (até 30 anos, no caso do refinanciamento imobiliário).

O refinanciamento é interessante para valores maiores

Essa vantagem do refinanciamento em relação ao empréstimo pessoal vale principalmente se você está precisando de um empréstimo de valores mais altos.



O refinanciamento possui algumas taxas de avaliação do bem (do carro e da casa) que independem do valor que você for pegar emprestado. E essas taxas vão acabar pesando muito no custo do seu empréstimo se ele for de um valor pequeno. No caso do refinanciamento de imóvel, alguns bancos só fazem empréstimos a partir de R$ 30 mil.

Então, qual escolher: empréstimo ou refinanciamento?

Se você tem um carro ou imóvel em seu nome regularizado, você deve considerar fazer o refinanciamento.  Mas lembre-se de que o bem vai ficar como garantia do banco. Para decidir qual empréstimo é melhor, você deve considerar três fatores:

1. Se você está precisando de um valor menor do que R$ 1 mil o melhor a fazer é um empréstimo pessoal. É mais ágil, menos burocrático e deve sair mais barato.

2. Entre R$ 1 mil e R$ 10 mil vale você comparar o empréstimo pessoal com o refinanciamento de veículo.



3. A partir de R$ 10 mil é bem provável que a melhor opção seja o refinanciamento de veículo e acima de R$ 20 mil você já pode considerar o refinanciamento de imóvel.

Para facilitar sua comparação de refinanciamento de imóvel, é possível solicitar propostas online. Basta preencher os seus dados pessoais que a Konkero encaminha sua solicitação para diferentes bancos. Solicite agora sua proposta de refinanciamento clicando aqui. Se você procura por refinanciamento de auto, basta clicar aqui.

Veja também




Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.