Novos players de serviços financeiros mudam visão de empresários sobre tomada de crédito

Startups com ideias e processos inovadores estão revolucionando o processo de tomada de crédito por pequenos e médios empresários.

Em julho deste ano, a taxa Selic teve sua sétima alta seguida, chegando a 14,25% nos últimos 12 meses, maior patamar em nove anos.  Descontando a inflação do período, o Brasil tem a taxa de juros real mais elevada do mundo (5,16% ao ano, enquanto a da China, segunda colocada, fica em 3,55% ao ano).  Além disso, o mercado de crédito de pessoa jurídica é bastante concentrado em grandes bancos, tornando o crédito caro e restrito.

Entretanto, com a tecnologia, esse cenário começa a mostrar notícias mais positivas.

Novos modelos de negócios em serviços financeiros estão surgindo das mãos e mentes de startups. Novas ideias e inovação acelerada nos ramos de cartões, crédito e seguros estão chamando a atenção de bancos tradicionais, que estão sendo obrigados a se adaptarem para enfrentar essa nova realidade.

Apesar dessas empresas serem pequenas em comparação aos grandes bancos, elas começam a desafiar o cenário atual, por terem modelos de negócios inovadores. Uma dessas startups é a Biva, que está atuando no mercado de peer-to-peer lending, focada em empréstimo para pequenas empresas. Na Biva, pequenos e médios empresários podem contratar empréstimos a juros muito mais baixos ao cobrado pelos players tradicionais de crédito.

Antecipe suas duplicatas e conte com a taxa de juros exclusiva da Rapidoo. Clique aqui para saber mais

A entrada desses novos players está para mudar um cenário desafiador no país.  A alta taxa de juros das últimas décadas assustou muitos empresários, que deixaram de tomar crédito, expandir seus negócios e, ao contrário de vários países, muitos empresários brasileiros têm uma visão negativa do crédito.

O crédito, no entanto, quando tomado de forma consciente, pode ser um grande motor de transformação e crescimento das empresas. O problema não está em pegar um empréstimo, mas sim em pegar o empréstimo correto com taxas de juros adequadas.



Educadora há mais de dez anos, a fundadora do Instituto Alpha Lumen (IAL), escola para crianças superdotadas em São José dos Campos, Nuricel, lidou com essa realidade ao precisar de crédito. “Eu precisava de investimento para ampliar a estrutura. Quando comecei a procurar apoio nas instituições financeiras, me assustei, tudo demandava infinitos demonstrativos e eu tive a impressão que não tinha valor como cliente”, afirma.

Nuricel buscou outras soluções no mercado e resolveu testar o peer-to-peer. “Com o peer to peer lending a história foi outra, bem diferente. A empresa foi parceira, acreditou no nosso trabalho e investiu no nosso sucesso. Não houve burocracia alguma. Eles estudaram nosso trabalho e acreditaram no nosso desenvolvimento. O investimento que conseguimos na plataforma foi crucial para alavancar oportunidades para a empresa. Estamos abrindo a segunda unidade e dobrando o número de estudantes atendidos pelo IAL.




comentários