Empréstimo para microempresa: 5 passos para escolher o melhor - Konkero
ATENÇÃO! Nunca solicitamos depósito ou pagamento para liberação de empréstimo. Isso é ilegal.

Empréstimo para microempresa: 5 passos para escolher o melhor

Quem pretende abrir um pequeno negócio ou melhorar o capital de giro da empresa precisa de um dinheiro extra. Veja o passo a passo para contratar a melhor proposta! 

Com o desemprego em alta e a falta de grana no fim do mês, uma alternativa para conseguir pagar todas as contas é abrir o próprio negócio. Muitas pessoas estão aprendendo a empreender e desenvolvendo empresas e ocupações a partir de alguma habilidade culinária ou de outros conhecimentos.

Para quem está no início do próprio negócio ou já tem uma empresa há um certo tempo, mas precisa de um dinheiro extra para comprar equipamentos, matéria-prima e pagar gastos com eletricidade e demais serviços, o empréstimo para microempresa pode ser uma boa alternativa para ajudar a quitar todos esses custos.

Os bancos e financeiras oferecem o crédito para microempresários e empreendedores conseguirem melhorar a estrutura da empresa e investir no capital de giro do negócio. Por ter tantas opções, o profissional precisa tomar alguns cuidados antes de pegar um valor emprestado nas instituições bancárias. Confira alguns passos para escolher o melhor empréstimo para microempresa.

5 passos para escolher um empréstimo para microempresa

1. Descubra de quanto a empresa precisará

É fundamental que o microempresário saiba qual será a quantia necessária para resolver as contas da empresa ou comprar novos equipamentos e materiais. Por isso, coloque no lápis ou em uma planilha todos valores aproximados do que deverá ser comprado e das contas que deverão ser pagas. Assim, os riscos do profissional pegar um empréstimo maior e se complicar no futuro serão menores.

2. Procure um banco em que já tenha conta aberta

Os bancos costumam liberar uma série produtos e serviços pra quem já é cliente e possui, pelo menos, uma conta corrente com movimentação. Portanto, vá até o banco em que já tem algum serviço e consulte os empréstimos disponíveis para microempresa. Nessa fase, o gerente fará uma análise de crédito tendo em vista o CPF do correntista e o faturamento mensal do negócio.

Se o cliente tiver uma conta corrente PJ aberta no banco, fica ainda mais fácil conseguir um empréstimo para a microempresa com boas taxas de juros e prazos de pagamento maiores.

3. Veja o empréstimo para microempresa em outros bancos

Além de ir até a agência bancária onde possui conta, é importante que o empreendedor procure outros bancos e veja as propostas disponíveis de acordo com o faturamento da microempresa e a possibilidade de pagamento. Mesmo que o profissional não tenha conta na instituição, é possível negociar taxas e prazos melhores levando em conta de que o dono do negócio será um novo cliente para o banco.

4. Negocie as taxas de juros com os bancos

Antes de fechar o empréstimo no banco para ajudar no capital de giro da microempresa, o empresário deve reunir todas as propostas que buscou e ver quais possuem as melhores taxas de pagamento. Depois, comparar as duas com valores menores e ir novamente nas agências. O dono ou responsável pela microempresa deve negociar com os gerentes e ver a possibilidade de diminuir mais as taxas de juros do empréstimo, ou aumentar o valor do crédito e manter os mesmos encargos. Dessa forma, o profissional chegará até a melhor proposta e fará um bom negócio para a microempresa.

5. Pague em dia pelo empréstimo e evite outras cobranças

Depois que contratar o valor para melhorar a situação da microempresa, o responsável pela dívida deve pagar em dia as parcelas do empréstimo. Portanto, o microempresário não pode atrasar os pagamentos pelo crédito contratado. Se por ventura ficar mais complicado de pagar as parcelas, o profissional deve ir até a agência e negociar a dívida o quanto antes. Caso deixe de pagar pelo empréstimo, a dívida aumentará e o empresário terá dificuldade para contratar serviços em outros bancos.

Veja também!