Saiba recuperar a sua bagagem e evite prejuízos

Você pode planejar tudo nas suas férias: hotel, passagem, passeios, compras… mas algumas situações são difíceis de prever.

Evitar o extravio da bagagem, por exemplo, é algo que não depende apenas dos cuidados que você tem.

Mas para minimizar a dor de cabeça que vem junto com este problema, conheça os seus direitos e saiba como agir se isso acontecer com você.

O que fazer se a bagagem extraviar

Dê o primeiro passo assim que souber da perda da bagagem.

Em viagens de avião, peça o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB) para declarar o problema.

Se não receber este documento, escreva o que aconteceu e peça a assinatura de algum funcionário da companhia. Faça duas vias deste documento e guarde uma das cópias com você.

Segundo a Proteste, tanto o formulário quanto o documento escrito à mão devem conter:

. Nome, endereço, telefone
. Local e data do embarque
. Nome da companhia
. Descrição do problema (neste caso, extravio da bagagem)
. Local, data e horário deste extravio
. Número da etiqueta da bagagem
. Modelo e cor da mala
. Alguma identificação externa que havia na bagagem
. Descrição do conteúdo da mala

Para fazer esta reclamação, você deverá apresentar o comprovante de despacho da bagagem, pois ele mostra que o transporte foi feito.

Após a notificação do problema, existe um prazo para a empresa recuperar a sua mala. No caso de voos internacionais, 21 dias é o tempo limite. Já para voos nacionais o prazo é maior: 30 dias (o mesmo para extravio em viagens de ônibus).

Se a bagagem não for devolvida neste período, é seu direito receber uma indenização da empresa. Procure um órgão de defesa do consumidor (como Procon ou Idec) e peça orientações sobre o que fazer.

Nos casos de viagens rodoviárias, siga as mesmas orientações e faça o documento registrando a perda, mas procure a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Dica: Se você precisar repor roupas ou objetos de higiene pessoal, guarde as notas fiscais e peça o ressarcimento à empresa.

Saiba mais nos sites do Ministério do Turismo, da Proteste, e tenha uma boa viagem!




comentários



}); //fim script