Tudo sobre consórcio de carro e moto

  • Google+
  • LinkedIn

Taxa administrativa, sorteio, leilão, contemplação. Entenda como funciona o consórcio de carros e faça o melhor negócio!

consorcio de carro e moto



Chegou a hora de tirar todas as suas dúvidas sobre como funciona um consórcio de veículos! As regras são as mesmas tanto na compra de carro quanto de moto, então, o que você verá a seguir pode ajudar você e seus amigos que estiverem na mesma situação! Fazer um consórcio de veículos é um caminho para quem precisa de disciplina na hora de juntar dinheiro. Portanto, se você se identifica com esse perfil, entenda agora as principais informações sobre esse negócio e saiba fazer a melhor escolha!

O que você vai encontrar aqui:

O que é o consórcio de veículos

Como funciona o consórcio de carro e de moto

Dicas para escolher seu consórcio

Fui contemplado. E agora?

Consórcio X Financiamento

O que é o consórcio de veículos

O consórcio é uma forma de comprar um carro ou uma moto pagando parcelas mensais. Você entra em um grupo, vai pagando os boletos e precisa ser contemplado para receber o dinheiro e comprar o veículo. Esse trabalho é gerenciado por uma administradora, que monta o grupo, define o valor das prestações e a duração do pagamento. Juntos, os participantes do grupo contribuem para uma poupança comum, utilizada para comprar o veículo de todos os integrantes do grupo. Então, no fim das contas, o que você faz aqui é pagar antecipado pelo carro, como se depositasse o dinheiro em uma conta poupança, mas pagando taxas por isso. “O consórcio é a arte de poupar em grupo”, diz o presidente executivo da Associação Brasileira de Administradores de Consórcios (ABAC), Paulo Roberto Rossi.

Como funciona o consórcio de carro e de moto

Quem está interessado em comprar o mesmo veículo ou um veículo no mesmo valor, entra em um grupo formado pela administradora do consórcio. Então, todos devem pagar o boleto mensalmente, com o valor já definido em contrato, e a administradora vai guardando e gerenciando esse dinheiro. Uma vez por mês, acontece um sorteio entre os participantes que estão com o pagamento em dia e um deles será contemplado. Esse consorciado receberá a carta de crédito e poderá comprar o veículo. Também dá para tentar a contemplação com lances, mas ainda não dá para prever quando será sua vez de receber a carta de crédito.

Para entender como o consórcio funciona, é preciso conhecer um pouco mais cada uma destas etapas descritas até aqui. Veja só:

Três maneiras de entrar no grupo

Para participar de um consórcio, você pode procurar um grupo em formação, comprar a cota vaga em um grupo formado ou comprar a cota de outro consorciado. Nos dois primeiros casos, procure a administradora e pergunte sobre a possibilidade de entrar no grupo (em formação ou formado). Na terceira opção, que depende de outro consorciado vender a cota, é preciso ter ainda mais atenção com o contrato e o valor das parcelas que você vai assumir. Aqui você fechará negócio com um participante, não com a empresa, e pagará um valor diretamente para ele. As administradoras não apóiam essa prática e, portanto, não vendem cotas de quem quer deixar o grupo dessa maneira.

O pagamento das parcelas

Agora que você já está em um grupo formado, começa o pagamento das parcelas para ter direito ao sorteio das cartas de crédito que liberaram o veículo para o ganhador. O número de participantes sorteados mensalmente depende do tamanho do grupo, mas a regra define que no mínimo uma pessoa será contemplada. Assim que você começa a pagar o boleto, também pode dar lances e concorrer em um grupo separado.

As formas de contemplação

Seja por sorteio ou leilão, até o final do consórcio todos os participantes serão contemplados com a carta de crédito. A carta de crédito é uma expressão usada para a autorização dada pela administradora ao consorciado contemplado – e ela possibilita a compra do veículo. Isso significa que o participante contemplado já pode informar para a administradora qual o bem de sua escolha. “Isso porque você não recebe o crédito em dinheiro, é necessário informar para a administradora qual o veículo você escolheu, pois a empresa vai liberar o pagamento diretamente ao vendedor”, explica o presidente. Confira as duas formas de ser contemplado no consórcio:

Sorteio: Acontece mensalmente entre os consorciados que estão com o pagamento em dia e garante pelo menos um contemplado todo o mês. Você pode ser sorteado agora, em alguns meses ou só no final do contrato. Atenção: o fato de ser sorteado não o libera do pagamento das parcelas. É preciso pagá-las até o final do prazo do consórcio.

Lances: Não quer esperar pelo sorteio? Saiba que é possível ser contemplado antes no consórcio. Você pode participar de leilões para conseguir a carta de crédito. Confira três formas de dar lance no leilão:

1. Lance comum: Quando você paga um número definido de parcelas além do pagamento daquele mês. Vence quem oferecer o maior número de parcelas.

2. Lance fixo: A administradora estabelece um valor, que costuma ser entre 25% e 50% do valor total do veículo, e quem entra nessas condições concorre em um sorteio diferente. Por exemplo: você possui a cota 30, mas o número sorteado foi o 35. Se ninguém deste lance está com o número sorteado (nesse caso, o 35), ganha quem estiver mais próximo dele.

3. Lance embutido: O valor do lance será descontado da carta de crédito. Então, se você entrou em um consórcio de R$ 50 mil, pode dar um lance embutido de 15 mil e, se ganhar, receber uma carta de crédito de 35 mil.

Quando dar um lance? Segundo o presidente da Abac, Paulo Rossi, não há uma época ideal para tentar a contemplação dessa forma. O final do ano, no entanto, costuma ter assembléias mais movimentadas por conta do recebimento do 13º. O melhor caminho é procurar outros consorciados que já saíram dos grupos e perguntar qual era a dinâmica dos lances quando ele participou.

Dicas para escolher seu consórcio

Não existe forma certa ou errada de escolher seu grupo, pois o melhor negócio depende da sua necessidade. Mas alguns cuidados farão você escolher um consórcio que atenda suas necessidades e expectativas. Então, procure pesquisar cinco pontos importantes:

1. O valor da carta de crédito

É o valor do carro ou da moto que você poderá comprar. Se no final você decidir adquirir um veículo mais barato, poderá usar o restante do dinheiro para pagar as taxas da documentação, por exemplo. Mas se o contrário acontecer e você quiser um veículo mais caro do que sua carta de crédito, pode completar o pagamento.



2. O valor da taxa de administração

A taxa de administração pode ser considerada a taxa de juros do consórcio. Cobrada pela administradora todo mês, quanto maior ela for, mais você pagará no final. E isso tem um efeito imediato no valor das parcelas, assim como a duração do consórcio também influencia nesse preço.

3. As parcelas pagas por mês

Se você escolher um consórcio caro e não conseguir manter o pagamento em dia, terá que pagar juros e multas até o sorteio seguinte ou ficará impedido de participar e dar lances no leilão. E quem atrasa muitas parcelas corre o risco de ser excluído do grupo. Então, pense bem se a parcela cabe no seu bolso antes de assinar o contrato do consórcio. E saiba que existe um reajuste desse valor, feito com base na tabela do fabricante de veículos, e que pode ser anual ou não.

O que você paga mensalmente

A taxa administrativa. Uma parte da parcela é destinada a essa taxa que vai para a administradora do consórcio como uma “comissão” por gerenciar o grupo.

Fundo comum. Dinheiro pago pelos consorciados que fica em uma conta comum. Ele será utilizado no pagamento dos veículos dos participantes.

Seguro. As administradoras costumam ter um seguro de quebra e vida para garantir o pagamento das prestações caso algum participante deixe de pagar os boletos.

4. O prazo do consórcio

A duração do grupo muda conforme o modelo de veículo ou o valor da carta de crédito, então não deixe de olhar para esse prazo quando for escolher o grupo. “A duração média de um consórcio de automóveis é de quatro a cinco anos, mas já existem grupos com sete anos de duração. Ou seja, não há uma regra definida quanto ao prazo, pois cada administradora estuda o mercado e define o tempo que acredita ser mais atrativo e acessível para os consorciados”, explica o especialista Paulo Rossi.

5. Quem é a administradora

Fuja dos golpes! É importante verificar se a administradora tem autorização do Banco Central do Brasil para vender consórcios. Você pode ter essa informação ligando no 08000-97902345, ou acessando o portal do Banco Central ou o site da ABAC.

Para ajudar na sua escolha, a Konkero fez um comparativo das 15 maiores administradoras de consórcio de carro do Brasil. Não deixe de comparar as taxas, além das condições que cada uma oferece.

Fui contemplado. E agora?

A contemplação, seja por sorteio ou lance, deixa o consorciado escolher o momento de compra do veículo, sendo que o prazo máximo é o encerramento do grupo. No caso de o consorciado escolher retirar o dinheiro, deve esperar seis meses após o pagamento da última parcela. Veja o que você pode fazer quando recebe a carta de crédito:

1. Trocar a marca ou o modelo do veículo

É possível mudar o modelo, mas não dá para trocá-lo por outro produto da mesma categoria (um carro por uma moto, por exemplo). E isso é definido no contrato que você assina quando entra no consórcio.

2. Trocar o veículo por um modelo mais barato

Nesse caso, dá para utilizar até 10% do seu crédito em custos como IPVA, transferência de propriedade e seguro. Também é uma opção usar esse dinheiro a mais para quitar as parcelas restantes do consórcio.

3. Comprar um veículo usado

É possível utilizar a sua carta de crédito para adquirir um veículo usado ou seminovo. Mas as administradoras costumam ter restrições quanto ao ano de fabricação do veículo. Então, verifique essas condições no contrato.

Consórcio X Financiamento

Será que começar um consórcio é melhor do que dar entrada em um financiamento de carro ou de moto? Se você ficou na dúvida sobre qual deles é a melhor opção, compare o financiamento com o consórcio e descubra na tabela abaixo as diferenças entre esses dois tipos de crédito.

CONSÓRCIO

FINANCIAMENTO



Cobra uma taxa administrativa. Mas ela costuma ser menor do que os juros do financiamento. Cobra uma taxa de juros. Que normalmente é mais cara do que a taxa de administração do consórcio.
Aqui não é necessário dar um valor de entrada; você só paga as prestações. Em financiamentos você deve que dar algum valor de entrada, por menor que ele seja.
O veículo não sai na hora nos consórcios. Você tem que esperar pelo menos até o início dos sorteios ou o primeiro leilão. No financiamento você sai com o carro na hora.
Nome sujo não é um impedimento para entrar no consorcio: o consorciado só terá sua situação analisada quando for contemplado com a carta de crédito. Então, você tem até lá para regularizar sua situação. Os financiamentos fazem análise de crédito do cliente antes, ou seja, verificam se ele tem condições de pagar as prestações. Nome sujo, por exemplo, pode ser um impedimento para fazer o financiamento.

 

Ainda tem dúvidas? Confira 16 respostas sobre consórcio e faça uma boa compra!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.