Chegou a hora de investir o seu dinheiro!

  • Google+
  • LinkedIn

Descubra as respostas para cinco dúvidas comuns sobre investimentos, saiba qual o seu perfil de investidor e ganhe coragem para começar

investir-dinheiro



Acredite: o momento certo para investir o seu dinheiro não depende de qual a sua idade ou de quanto dinheiro você tem para começar. Existem opções no mercado financeiro para quem quer começar com 60 reais, por exemplo! Claro que o rendimento tende a ser maior ao entrar em um investimento quando se é mais jovem. No entanto, ser disciplinado para economizar todo mês faz bastante diferença. Por esse motivo, a hora certa de investir seu dinheiro pode ser esta!

5 respostas sobre aplicações

É comum ter dúvidas sobre os tipos de investimento, por exemplo, quanto e onde aplicar, quais os bancos seguros, quando começar etc. Mas antes de escolher uma aplicação, você precisa esclarecer todas essas inseguranças! Por isso, a Konkero pediu ajuda de alguns dos principais especialistas no assunto: a empresa XP Investimentos e a corretora de investimentos Rico. Confira as respostas e perca o medo de valorizar o seu dinheiro.

1. Eu vou perder dinheiro?

Depende do tipo de aplicação que você escolher. Existem investimentos seguros e protegidos por um Fundo Garantidor, como acontece com a poupança. Nesses casos, mesmo que haja algum problema, você não perde seu dinheiro. Entretanto, quem compra uma ação pode perder dinheiro após certo tempo, ou seja, esse é um investimento de risco.

Mas dependendo da aplicação que você fizer, investir o dinheiro pode ser mais seguro do que montar um negócio. “É esse tipo de avaliação que você tem que fazer antes de tomar essa decisão. Em geral, as pessoas acham que investir costuma ser arriscado porque escutam isso dos outros e não procuram saber como um investimento funciona”, explica Silvio Paulo Hilgert, diretor Acadêmico da XP Educação e Sócio da XP Investimentos Holding.

2. Preciso ser jovem ou muito velho para investir?

Conforme você já descobriu, a resposta é não. O motivo? Quem começa cedo e não guarda dinheiro todo mês ou precisa resgatá-lo com frequência provavelmente não terá o lucro que espera. “De fato, os jovens que investem cedo têm mais chance de receber um investimento maior. Mas isso não significa que você não pode começar em qualquer idade. Mais importante do que isso é manter uma constância no investimento, ou seja, procurar guardar o dinheiro todo mês mesmo que seja um valor pequeno”, explica Silvio. O mesmo pensamento vale para quem acredita que precisa juntar uma boa grana e investir somente quando ficar mais velho. Se este for o seu caso, evite esperar. Você poderia começar agora a pagar uma previdência privada, por exemplo, e garantir que terá renda quando se aposentar.

3. Qual investimento é o certo para mim?

Depende do quanto você tem para começar a investir. Existem aplicações seguras para quem está começando, como poupança, Certificado de Depósito Bancário (CDB), Fundo de Renda Fixa e Títulos Públicos, como o Tesouro Direto. Mas o valor inicial é o que costuma definir a sua escolha. Valores baixos podem ir direto para a poupança. Ela não tem o maior rendimento entre as aplicações, mas faz seu dinheiro crescer um pouco todo mês. “Nesse caso, quando o valor é baixo, não coloque 100 reais na bolsa, 100 em título público e 100 em ações. Escolha um investimento só e aplique tudo, pois o rendimento será melhor”, conta Silvio.

Se pretende investir entre cinco e dez mil reais, você também pode escolher a poupança ou fundos como CDB, Renda Fixa e Títulos Públicos, por exemplo. Valores maiores do que este (principalmente acima de 20 mil reais) já podem ser divididos mais de uma aplicação ou investidos em fundos com um valor um pouco maior, como o Certificado de Depósito Bancário (CDB) ou a Letra de Crédito Imobiliário (LCI), que são seguras, segundo o especialista da XP Investimentos.

4. Quem ganha pouco também pode investir?



Com certeza! “Hoje, por exemplo, é possível fazer um investimento no Tesouro Direto a partir de 60 ou 70 reais por mês. Depois, a partir de mil reais já dá para investir na Letra de Crédito Imobiliário (LCI), na Letra de Crédito de Agronegócio (LCA) e, com 1.500 reais, no mercado de ações”, explica o analista da corretora Rico, André Morais. E mais: quando você se dispõe a guardar o que sobra, mesmo que seja pouco, para aplicar esse valor, se acostuma a guardar dinheiro cortando gastos que não são tão importantes. Então, economizar se torna um hábito! “Muita gente não investe porque tem pouco dinheiro sobrando, mas gasta essa sobra com algo que não precisa ou não quer tanto assim. Compensa investir qualquer quantia, mesmo se for só 10 ou 20 reais, por exemplo, em vez de gastar esse dinheiro”, orienta Silvio.

5. Os investimentos cobram alguma taxa?

Sim, e ela se chama taxa de administração. E esse valor pode mudar muito conforme a aplicação que você escolher. Na hora de pesquisar onde colocar esse dinheiro, compare as taxas que eles têm. “Um fundo de investimento de renda fixa com uma boa taxa costuma cobrar 1% ou menos por mês. Já o fundo de ações e multimercados deveria cobrar 2,5% ou menos. De qualquer forma, uma taxa de administração a 3% ou mais é considerada alta, pois parte do que você ganha no investimento vai para esse pagamento”, alerta o especialista da corretora.

Descubra seu perfil de investidor

Além de decidir a aplicação pelo dinheiro que você tem disponível, é preciso saber qual tipo de investidor você é. Quem tem o perfil de assumir riscos costuma entrar em um investimento que rende mais, mas que também aumenta a chance do prejuízo. Veja abaixo os três tipos comuns e descubra quem é você:

Conservador Ele quer segurança, está preocupado em proteger o que tem nesse momento e não aceita correr riscos para não perder dinheiro nenhum. Então, costuma depositar dinheiro na poupança, fazer uma previdência privada ou aplicar no CDB. Quem está nesse perfil sabe que o investimento seguro rende menos, no entanto, prefere ter certeza de que não perderá dinheiro. Alguns exemplos de aplicação nesse caso são a poupança e a previdência privada.

Moderado Também prefere não correr riscos, mas está disposto a ser mais ousado do que o conservador se isso significa ter um rendimento maior na aplicação. “Indicamos para esse perfil o Fundo Multimercados, a Renda Variável e os Fundos de ações que dão menos dinheiro nos primeiros anos e trazem mais lucros do que os investimentos conservadores após um ano ou mais”, explica o sócio da XP Investimentos.

Agressivo ou arrojado Ele espera que o dinheiro investido fique maior em pouco tempo e, para isso, aceita correr riscos. Justamente por entrar em um investimento desse tipo, o perfil agressivo costuma ficar rico mais rápido do que os outros. E, com o tempo, ele passa a entender as malícias dos investimentos de alto risco. Mas o que falta nesse perfil é o medo além do dinheiro.

Mantenha o foco nos seus objetivos



O que você quer conquistar como o rendimento da aplicação? Você quer comprar um carro, uma casa, fazer uma viagem ou garantir a faculdade para os seus filhos? “É preciso ter um ou mais motivos para querer investir! Então, o passo seguinte será analisar quanto tempo eu tenho para conseguir o dinheiro que preciso”, explica Silvio Hilgert. Afinal, fica mais difícil ter determinação para guardar dinheiro quando não existe uma meta lá na frente. Sem contar que os seus objetivos ajudam na escolha da aplicação financeira.

Saiba mais sobre economia e organização das finanças para conquistar os seus sonhos!





Comentários:

Atualmente recebemos centenas de perguntas todos os dias. Com isso, os comentários não serão respondidos mais pela equipe Konkero. A intenção é que os próprios usuários ajudem uns aos outros. Não nos responsabilizamos por erros, omissões ou imprecisões nas nossas respostas uma vez que elas não substituem a orientação de especialistas como advogados, contadores, especialistas em finanças etc. Importante: quando você faz um comentário, ele fica público nessa página após a aprovação da nossa equipe e também será publicado em sua timeline no Facebook de acordo com suas configurações de privacidade. Nos reservamos o direito de excluir comentários considerados inapropriados, ofensivos ou de divulgação de produtos e serviços.