Bitcoin: o que é e como funciona essa moeda virtual - Konkero

Bitcoin: o que é e como funciona essa moeda virtual

Descubra de uma vez por todas como funciona o bitcoin, a moeda digital que é a febre do momento.

O bitcoin é uma moeda virtual criada em 2009 para o envio e recebimento de valores pela internet. Pioneiro entre as criptomoedas, o bitcoin é uma moeda descentralizada e sua emissão não está ligada a nenhum governo ou instituição financeira, como acontece com o real ou dólar, por exemplo. Com ele é possível receber ou enviar valores digitalmente, sem o intermédio de nenhum banco, seguindo o modelo peer-to-peer.

Apesar de sua segurança ser questionada, já que ainda não existe uma regulamentação para o bitcoin, todas as transações feitas com a moeda ocorrem de forma anônima, tem seus dados criptografados e são registradas em ordem cronológica e inalterável no sistema público do blockchain.

Para entender melhor como funciona o bitcoin, a Konkero respondeu algumas das maiores dúvidas acerca da criptomoeda do momento. Confira!

Como funciona o bitcoin?

O bitcoin é a primeira aplicação prática da tecnologia blockchain e para entender sobre essa moeda é preciso saber como funciona o sistema.

O sistema do blockchain funciona como um livro contábil digital onde é possível armazenar todas as transações e movimentações de ativos de forma segura, pois toda a sua estrutura é protegida pela criptografia, e em ordem cronológica, formando blocos sequenciais e encadeados. Todos os registros feitos no blockchain podem ser vistos de qualquer lugar do mundo, isso porque o sistema é público e seu acesso se dá a partir de um computador, e as transações acontecem no modelo peer-to-peer, ou seja, de pessoa para pessoa.

Quando uma transação é feita em bitcoin, o software do computador de quem está efetuando a transação se conecta a todos os computadores presentes na rede, que entendem o alerta de que há um montante de dinheiro a ser enviado a um destinatário. Já o “comprovante” dessa transação será a resolução de um código matemático, feito por um computador da rede blockchain, que serve para confirmar que a transação é verdadeira e a inclui a todos os outros registros no sistema.

Esse processo irá se repetir até que exista dados suficientes para a formação de um bloco, protegido por criptografia, a partir de transações feitas naquele período de tempo. Geralmente demora 10 minutos para que novos blocos sejam formados, replicados aos demais computadores, incluídos ao sistema do blockchain e a transação seja confirmada de fato.

Além da criptografia digital de cada bloco, os dados presentes nele também são protegidos por um tipo de assinatura digital formada por números e letras, dificultando possíveis fraudes.

Como conseguir o bitcoin?

Existem quatro maneiras para conseguir o bitcoin:

  1. Através da venda de produtos ou serviços e recebimento com a criptomoeda;
  2. Através da mineração do bitcoin, utilizando computadores com capacidade e potência suficiente para decifrar os códigos matemáticos, verificar a autenticidade da transação de outros usuários e ganhar bitcoin como recompensa;
  3. Comprar um bitcoin, com reais, através de sites específicos para a compra e venda da criptomoeda.
  4. Investir na compra de bitcoins através de uma Gestora de Recursos especializada em patrimônio digital. A vantagem dessa alternativa em relação as outras três primeiras, é que nesse caso a Gestora fará a guarda segura dos seus bitcoins, não exigindo nenhum conhecimento técnico da sua parte para garantir a segurança do seu bitcoin.

Lembrando que se a escolha for a mineração do bitcoin, através do sistema do Blockchain, a recompensa será uma fração do bitcoin e não uma unidade por completo.

Como funciona a compra e venda do bitcoin?

Para efetuar a compra ou venda do bitcoin é preciso primeiro procurar por uma casa de câmbio virtual que ofereça a transação da criptomoeda. Em seguida será preciso criar um cadastro com a casa de câmbio escolhida, que fornecerá um endereço eletrônico contendo até 34 dígitos entre letras e números, para que seja possível comprar ou vender bitcoins.

Esse endereço eletrônico servirá como uma caixa postal, onde a cada transação será preciso acrescentá-lo para que o bitcoin seja enviado ao destino correto, e o registro dessa compra ou venda será adicionado a todos os outros no sistema no Blockchain, mas não será mostrado o endereço eletrônico para garantir o anonimato dos usuários.

Já se você preferir a Gestora de Recursos, você apenas depositará em reais e resgatará em reais. Quem fará a operação por você de compra ou venda na casa de câmbio será a Gestora de Recursos.

O que é a mineração do bitcoin?

A mineração é o nome que recebe o processo de verificação de um pedido de transação com moedas digitais através de um computador com poder de processamento capaz de criar um algoritmo que transforme um grande número de informações em uma sequência de letras e números de tamanho fixo, tendo como base o bloco anterior com transações já confirmadas.

Um minerador é o responsável por criar hashs que validam cada operação e, por isso, recebe uma micro parte do bitcoin como recompensa. Por essa razão muitas pessoas se interessam pela mineração de bitcoins usando o Blockchain, já que a aquisição de uma unidade da moeda digital tem um alto custo.

Cada bloco possui um hash que o ligará ao bloco anterior, por isso o nome dessa tecnologia é Blockchain, que em tradução livre significa cadeia de blocos. Ao tentar fraudar o sistema do Blockchain alterando algum hash, toda a cadeia de blocos seria alterada e visualizada por todos, por isso o sistema é considerado seguro. Para conseguir roubar um bitcoin seria necessário hackear todos os computadores da rede ao mesmo tempo.

Porém, é importante lembrar que o processo é complexo e pode durar horas dependendo do poder de processamento da máquina e que cada transação feita com uma criptomoeda é irreversível.

Existe um limite para a produção do bitcoin?

Sim, assim como acontece com outras moedas digitais. O bitcoin tem um limite de produção de 21 milhões de unidades da moeda e a explicação para isso é que o número de combinações possíveis e necessárias para sua criação também tem um limite.

É possível usar qualquer computador para minerar o bitcoin?

O processo de mineração do bitcoin pode parecer fácil para a maioria das pessoas, pois toda a ideia flui em torno de um computador que tenha acesso à internet e um software de mineração instalado.

A verdade é que sim, qualquer computador pode ser usado para a mineração da criptomoeda. Porém, em um computador simples e que tenha uma capacidade de processamento reduzida, a mineração do bitcoin se torna mais complicada porque o processo será mais lento.

Assim, a validação das transações feitas com o bitcoin, em troca de uma pequena fração dessa moeda digital, além de ser lenta, demandaria uma grande energia, aumentando o gasto com a conta de luz.

O recomendado é que a mineração do bitcoin aconteça a partir de um computador que possua uma GPU (placa de vídeo) boa o suficiente para que o processo seja feito com mais facilidade e a fração de bitcoin adquirida valha a pena em relação ao uso de energia gasto.

Também é importante lembrar que a produção dessa moeda digital é finita e o código muda automaticamente para que a sua obtenção seja mais difícil, então com um computador potente a resolução dos códigos matemáticos presente em cada bloco do blockchain é mais rápida.

É seguro minerar criptomoedas com o Blockchain?

Ao contrário do que se pode imaginar, o Blockchain não é uma tecnologia exclusiva para mineração do bitcoin e transferência de valores usando a moeda digital. Ele surgiu junto ao conceito do bitcoin, porém pode ser utilizado como um banco de dados para diversas outras criptomoedas – e elas existem aos montes!

O Blockchain possui em toda a sua estrutura a criptografia, além de códigos presente nos blocos, o que garante que fraudes não ocorram no sistema, como o roubo de bitcoins, por exemplo.

Cada vez que uma nova transação é feita também é criado um código que será adicionado ao bloco anterior, tornando impossível sua falsificação. Como citado acima, para um bitcoin ser roubado será preciso que um hacker tenha o poder de acessar e hackear todos os computadores da rede ao mesmo tempo.

O processo de mineração de uma criptomoeda é seguro porque além de ser protegido pela criptografia, não envolve dados pessoais de quem participa da rede. É preciso apenas ter um computador com capacidade suficiente de processamento para verificar se as transações são verdadeiras e fazer com que o valor transferido com moedas digitais chegue ao seu destino.

O bitcoin é legal?

Muito se ouve sobre o bitcoin ser uma moeda ilegal por não ter uma regulamentação destinada a ele, não ser fiscalizado por uma instituição financeira ou ainda pelo uso ilegal que alguns usuários destinam a essa criptomoeda.

A verdade é que o bitcoin é apenas mais um meio de pagamento criado para facilitar as transações feitas pela internet e não existe nenhuma lei que proíba sua movimentação em território brasileiro.

Quem controla o bitcoin?

Desde a sua criação o conceito do bitcoin é justamente ser uma moeda descentralizada, ou seja, não ser controlada por nenhum governo ou instituição financeira, além de uma alternativa aos meios de pagamentos tradicionais, sendo utilizada principalmente para transações feitas na internet.

Quanto vale um bitcoin?

O bitcoin é uma moeda muito volátil em relação ao seu preço no mercado, sendo que diariamente é possível ver seu valor aumentar ou diminuir em quantias consideráveis. No momento de produção desta matéria um bitcoin valia aproximadamente U$ 8.510,00, cerca de R$ 29.011,00, conforme mostra este site.

Quem pode ter um bitcoin?

A compra e venda do bitcoin acontecem no modelo peer-to-peer, ou seja, de pessoa para pessoa. Não existe uma restrição de idade para a mineração e aquisição da criptomoeda, porém, se a intenção for adquirir a moeda através de uma plataforma específica, chamada de exchange, é importante saber que geralmente elas exigem que seus clientes já tenham atingido a maioridade.

Existem empresas, como a HashInvest, que oferecem o serviço de gestão de patrimônio digital. Você cria sua conta e a HashInvest cuida da compra e venda de bitcoins para você. Conheça mais!

Como é definida a cotação do bitcoin?

A volatilidade da moeda se dá pela lei da oferta e demanda, onde quanto maior é a procura pelo bitcoin maior também será seu preço e vice versa, mas cada pessoa é quem define por quanto deseja vender seus bitcoins.

Outros fatores que podem influenciar o preço de cada bitcoin no mercado pode estar relacionado à perda da confiança na criptomoeda, medo, imprensa estimulando uma demanda especulativa, etc.

O bitcoin possui lastro em alguma outra moeda?

Não, o bitcoin é uma criptomoeda independente e seu valor não tem influência de nenhuma outra moeda. Ou seja, não existe uma garantia de que um bitcoin valha realmente o valor que é cobrado para sua aquisição.

Já o dinheiro da forma tradicional que o conhecemos, por exemplo, atualmente tem o lastro baseado nas atividades econômicas de um país e a capacidade de quitar seus débitos.

É possível fazer investimentos atrelados ao bitcoin?

Por ser uma moeda que ainda não possui regulamentação a venda de investimentos com retornos atrelados ao bitcoin não é permitida no Brasil pois todo fundo de investimento comercializado precisa ter o registro do órgão que controla o setor mobiliário, a Comissão de Valores Mobiliários – CVM. Desobedecer essa ordem, no entanto, pode acarretar a cobrança de uma multa diária que pode chegar a R$ 5 mil.

O que acontece é que o bitcoin é uma moeda que se valoriza muito rápido e por isso há quem a enxergue como um bom tipo de investimento. A “rentabilidade” do bitcoin, no entanto, se trata de sua valorização no mercado de acordo com a lei da oferta e demanda. Mas também é importante lembrar que essa criptomoeda é volátil e usá-la como investimento é considerado de alto risco porque não é possível prever o quanto ela se valorizará ou ainda por quanto tempo seu valor se manterá estável, mesmo conhecendo bem o mercado.

Usar o bitcoin como investimento também não é totalmente seguro pois ele não funciona como muitos outros que são assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito – FGC e se a pessoa não guardar seus bitcoins corretamente em uma carteira digital, ou ainda perder o seu acesso  (para não correr este risco utilize uma gestora profissional), a moeda não pode ser recuperada.

Com a HashInvest, investir em bitcoin ficou muito mais fácil. Com o serviço de carteira administrada, a empresa cuida de seus investimentos em moedas digitais para você. Conheça mais.

É seguro realizar transações com o bitcoin?

Sim. Apesar de não ter seu poder centralizado em um governo ou instituição financeira, o bitcoin é considerado seguro porque a rede por trás da dessa moeda digital, o blockchain, possui toda sua estrutura protegida pela criptografia digital, além de ser um sistema público que pode ser acessado por qualquer pessoa.

Existem taxas para as transações feitas com o bitcoin?

Apesar do sistema do bitcoin e blockchain serem gratuitos, com o atual “boom” do mercado de bitcoins as transações podem ser taxadas para que mineradores e as empresas especializadas em criptomoedas possam ser recompensados.

As taxas cobradas geralmente possuem um valor fixo, o que significa que para uma transação de R$5 ou para uma de R$ 500 a taxa pode ser a mesma. Além disso, elas podem variar de acordo com a plataforma de bitcoin escolhida, por isso é importante confirmar a informação para que a transação valha a pena e a taxa não seja maior que o dinheiro a ser transferido.

Onde o bitcoin fica armazenado?

O bitcoin fica armazenado em uma carteira digital. Ao optar por adquirir o bitcoin com uma empresa especializada em criptomoedas também será criada uma carteira digital para o gerenciamento da moeda e suas transações.

É possível sacar o valor disponível em sua carteira digital?

Sim. Na própria carteira digital do usuário terá a opção “saque”, onde é possível transferir o valor disponível em bitcoin para uma conta bancária em reais. Mas atenção, para essa opção é cobrada uma taxa adicional que será repassada ao banco posteriormente.

É preciso incluir a aquisição do bitcoin no Imposto de Renda?

Apesar do bitcoin e outras criptomoedas não serem regulamentadas ainda no Brasil, sua aquisição não está livre da declaração de Imposto de Renda. O bitcoin deverá ser incluído na declaração no ítem “Bens e Direitos” com o código 99, que diz respeito à “outros bens”.

Confira aqui como declarar as criptomoedas na declaração de Imposto de Renda.

Veja mais!